Agatha Christie, Woman of Mistery

Capa do livro Agatha Christie, Woman of MisteryO jovem Tommy Beresford publicou citação de Tamsem Harward, alguns posts atrás, que questionava o fato das escolas britânicas não estudarem os livros de Agatha Christie.

Por coincidência, depois disso li “Agatha Christie, Woman of Mistery”, de John Escott. Eu fico com receio de dizer que é uma “biografia romanceada” porque pode dar a idéia de que o autor tenha enfeitado algumas passagens com inverdades, o que não é exatamente correto. John Escott de fato floreou algumas passagens, mas ateve-se aos dados biográficos que os fãs da Duquesa da Morte conhecem ao garimpar em várias fontes.

A grande vantagem do livro, aliás, é juntar essas informações de forma coesa e cronológica, e ilustrar tudo com fotos difíceis de encontrar Internet afora – um exemplo é a foto de Agatha Christie saindo do hotel onde foi encontrada após seu colapso nervoso, ou fac-símiles de capa de jornal anunciando recompensa de 100 libras por pistas que levassem a encontrar a escritora.

Publicado pela Oxford University Press, o livro faz parte da coleção Bookworms Library, do curso Englsih Language Teaching. Este livro não foi traduzido pro português, mas achei bem fácil de ler: a coleção tem livros do estágio 1 (400 palavras-chave) ao 6 (2500 palavras-chave); “Agatha Christie, Woman of Mistery” está no estágio 2 (700 palavras-chave).

A únca coisa que me deixou desapontada no livro foi a curta duração: só 56 páginas! E dessas 56, 11 são de atividades e mais 5 sobre o autor, o projeto e outras obras da coleção. Claro que, com apenas 40 páginas dedicadas ao assunto propriamente dito, John Escott não aborda a obra de Agatha Christe, apenas menciona alguns livros-chave para situar passagens da vida da autora no tempo.

Sinopse da quarta capa: What does the name ‘Agatha Christie’ mean? To many people, it means a book about a murder mystery – a ‘whodunnit’. ‘I’m reading an Agatha Christie,’ people say. ‘I’m not sure who the murderer is – I think it’s … ‘ But they are usually wrong, because it is not easy to guess the murderer’s name before the end of the book.
But who was Agatha Christie? What was she like? Was her life quiet and unexciting, or was it full of interest and adventure? Was there a mystery in her life, too?

Agatha Christie, Woman of Mistery
Autor: John Escott
Editora: Oxford University Press
Coleção: Oxford Bookworms Library
Ano: 2000
Edição: 1
Número de páginas: 56

Uma no cravo, outra na ferradura

Capa do livro O Assassinato de Agatha ChristieNo extremo oposto de “Agatha Christie, Woman of Mistery”, eu aponto para “O Assassinato de Agatha Christie”, de Sun Holliver (pseudônimo).

Segundo fontes extra-oficiais, a autora é professora de História em MG, ou museóloga e historiadora, conforme ela se descreve na orelha. Pelo que eu li do livro, ela:

1º. não é fã de Agatha Christie e
2º. não é fã de História.

(Alguns mais críticos podem acrescentar que não é fã de Literatura, tampouco.)

A sinopse encontrada em alguns sites de comércio eletrônico é muito instigante, provoca o interesse do leitor ávido por boas novidades no gênero do romance policial. O que o livro oferece, no entanto, passa longe do ideal – ainda mais para leitores exigentes, acostumados ao padrão da Agatha Christie de verdade.

“Sun Holliver” narra a história como se fosse a escritora Agatha Christie, em primeira pessoa. A trama se passa na década de 50, Agatha reside em Londres, por onde passeia com bolsas Channel, distribuindo autógrafos. Recém-divorciada de Archibald Christie, ela mora com a filha Rosalind, ainda pequena, sua babá e… Archibald Christie, que está obcecado por ela. A Scotland Yard a convoca para auxiliar na investigação de um crime, que não tenho bem certeza qual é, e a envia para o Cairo. Lá conhece Max Mallowan, que é acusado do roubo de peças arqueológicas (ah, esse crime…). “Agatha” passa a maior parte do livro discutindo relação (com “Christie” e com “Max”), lamentando a relação ou divagando sobre florais de Bach.

Apenas com este pequeno resumo já dá pra brincar de jogo dos sete erros!

2 pensamentos sobre “Agatha Christie, Woman of Mistery

  1. Concordo plenamente com esse comentário quando se refere a “O Assassinato de Agatha Crhistie”, um insulto à memória da escritora.
    Um livro completamente sem emoção, uma narrativa que parece a leitura de um relatório qualquer para uma platéia sonolenta. Não há mistério, não há suspense, não há emoção, uma história que jamais deveria ser contada nem escrita. Também não há ricas informações sobre arte e arqueologia. Os leitores de Agatha Crhistie vão se sentir insultados pelo fato do nome de uma autora consagrada ter sido usado para ajudar a vender esse livro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s