O dinheiro nos livros de Agatha Christie

– Suponho que deve ter um saldo tranqüilizador! – retruquei.
– Quatrocentos e quarenta e quatro libras, quatro xelins e quatro pennies – disse Poirot num tom complacente. – Um belo número, não acha? (Os Primeiros Casos de Poirot, Ed. Record/1989, pág. 81)

O sistema monetário inglês não seguia o sistema centesimal internacional que mesmo sua colônia norte-americana adotou (1 dólar = 100 centavos). A moeda britânica era tão peculiar que até a autora J. K. Rowling, súdita da Rainha, brincou com isso na sua série de livros “Harry Potter”.

The gold ones are Galleons. Seventeen silver Sickles to a Galleon and twenty-nine Knuts to a Sickle, it’s easy enough. (Harry Potter and The Philosopher Stone, 1997)

A Inglaterra só adotou o sistema internacional em 1971, portanto apenas os seguintes livros foram lançados após a conversão monetária: Os elefantes não esquecem, Portal do destino, Cai o pano e Um crime adormecido. No caso de Os primeiros casos de Poirot, apesar de ter sido lançado em 1974, os contos foram escritos nas décadas de 20 e 30. Cai o pano  e Um crime adormecido também foram escritos muito antes do seu lançamento, escritos durante a Segunda Guerra Mundial e trancados em um cofre de banco por 30 anos.
As moedas mais citadas nos livros de Agatha Christie eram:

Moeda inglesa de 1 pêni
. pêni (penny; plural pence): menor unidade monetária, são 12 pence para um xelim e 240 pence para uma libra

Moeda inglesa de 1 xelim
. xelim (shilling): 12 pence (5 pence atualmente). 20 xelins fazem uma libra

Moeda inglesa de 1 florim
. florim (florin): moeda de 2 xelins (10 pence atualmente)

Moeda inglesa de meia-coroa
. meia-coroa (half-crown): 2 xelins e 6 pênis (desculpem, é o plural de pêni em português)

– Fico satisfeito em vê-lo admitir, pelo menos uma vez, que elas são poderosas! Diga-me, ela deu um xelim de gorjeta ao garoto?
– Não, foi meia-coroa – Japp havia recuperado seu bom humor e sorria. – Esses americanos ricos são um bocado extravagantes! (pág. 96)

Moeda inglesa de 1 coroa
. coroa (crown): moeda de 5 xelins

Moeda inglesa de 1 libra
. libra (pound): 20 xelins ou 240 pence, cunhada em prata até 1983 e em liga metálica níquel-bronze a partir de 1984

Moeda inglesa de 1 soberano de ouro
. soberano (sovereign): 1 libra, mas a moeda era cunhada em ouro

Moeda inglesa de 1 guinéu
. guinéu (guinea): 1 libra e 1 xelim, ou 21 xelins (feita de ouro extraído de Guiné, na costa africana)

– Ha! – fez Poirot, furioso – E pensam que se livrarão de Hercule Poirot com esta facilidade! Como um favor muito especial consenti em investigar o seu miserável problemazinho, e eles me despedem comme ça! Se não me engano, aqui andou a mão de Mr. Todd, mas eu digo não! Mil vezes, não! Gastarei os meus próprios guinéus, trezentos e oitenta e cinco mil se necessário, mas chegarei ao fundo deste caso! (pág. 25)

Outras moedas interessantes

Moeda inglesa de two pence
. twopence: moeda de bronze que serviu de inspiração para o apelido da esposa de Tommy Beresford, Prudence “Tuppence” Beresford.

Moeda inglesa de 3 pence de prata
. threepence: moeda de prata que saiu de circulação em 1971, era usada nos pudins de Natal

Moeda inglesa de six pence
. sixpence: (2 e 1/2 pence atualmente) é a moeda usada em casamentos pelas noivas para trazer saúde aos noivos, uma tradição que é seguida desde o tempo da Rainha Vitória.

Something old, Something new,
Something borrowed, something blue
And a sixpence in her shoe (Wedding Sixpence)

Outras moedas podem ser vistas no site The DiCamillo Companion em inglês, e a história do sistema monetário britânico, inclusive com taxas de conversão e quais as moedas que sobreviveram aos dias atuais, no Terra Magazine, em português.

Observação: As citações e respectivas páginas foram extraídas da edição brasileira de Os Primeiros Casos de Poirot
Ed. Record
Tradução: Maria Moraes Rego
Ano: 1989
Páginas: 193

Anúncios

22 pensamentos sobre “O dinheiro nos livros de Agatha Christie

  1. Ado Emilio, seja bem-vindo. Essa parte das finanças eu deixo para a sócia Lady Lucy, ok ? Ela que entende disso. Um abraço.

  2. Excelente artigo!

    Que bom que a Anne e a Lady Lucy agora entenderam “a confusão dos termos”, porque eu continuo me confundindo toda!

    O sistema internacional diminuiu a confusão. Só diminuiu. Ela continua.

    Pagar com moedas e receber trocos continua sendo mortal!

    Mas há uma forte razão para o Reino Unido não adotar o Euro: não espantar o turista, que assim não consegue fazer comparações diretas de câmbio.

  3. Sim Lady Lucy, o custo de vida na Grã-Bretanha é muito elevado e maior que o daqueles países que já visitei (nunca fui a nenhum país da antiga cortina de ferro – quando morei em Paris e assim podia viajar bastante, não conseguí entrar em nenhum desses países, embora tenha ido até a algumas fronteiras… assim não sei informar com maior veracidade como é a vida por lá).

    Bem, mais em março passado eu estive em Londres, Oxford (uma filha queria ver o local das filmagens de Harry Potter – lá também foram filmados vários dos episódios de Inspector Morse), Warwick, Stratford-upon-Avon (a terra do Shakespeare) e demais vilarejos ao longo da Cotswolds.

    Estive na França e na Itália (Veneza também é cara, mas a Grã Bretanha supera).

    Vão aí algumas comparações de preço:

    METRÔ

    Roma – metrô integrado com ônibus – qualquer trecho – passando a última catraca em até 60 min. – 1 Euro

    Paris – idem Roma – 1,5 Euros

    Londres – paga-se por trecho (cada trecho tem um custo). Por exemplo, de Webminster Abbey até Bayswater Road (dá para ir a pé e demora cerca de 30 min.) – 8 Libras (o que seria cerca de 12 Euros!!!!)

    CIGARRO (acho que por causa disto estou parando de fumar…)

    Marlboro em Roma – cerca de 8 Reais
    Marlboro em Londres – mais de 20 Reais

    RESTAURANTES

    1 prato em um restaurante mediano custa de 18 a 20 Euros
    (ou 18 a 20 Libras se for na Grã Bretanha)

    O SENÃO é que não dá para pedir só um prato – porque a comida vem separada
    1 prato só vem acompanhamento quente (tipo batatas, arroz, massa, cenoura, etc.)
    1 prato só vem salada
    1 prato só vem carne
    1 prato só vem sobremesa
    1 prato só vem a entrada (este normalmente oscila entre 10 e 12 Euros)

    O conteúdo de cada prato equivale a uma porção individual.

    Resumindo – pelo menos há que se pedir 2 pratos e mesmo assim vai se comer muito mal.

    Bem…

    Para comer, se paga 50% mais caro na Grã-Bretanha, para se locomover, infinitamente mais….

    Para as compras, os melhores preços estavam em Roma.

  4. Voltando ao custo de vida…

    Existem os contrastes também.

    Há tempos que eu não via tantos carros luxuosos próximos (nos diversos estacionamentos do Imperial College – que fica junto do Albert Hall, próximo ao Palácio de Kensigton). Eram Rolls Royce, Bentley, Jaguar, Mercedes, Aston Martin, etc em profusão!!! 90% dos carros estacionados eram luxuosos (e novos e brilhantes – os carros por lá frequentemente estão opacos).

    As velhinhas desfilavam de táxi pela cidade de Londres (será que tinha alguma promoção para a 3a. idade?)

    Por outro lado, as pessoas na rua estavam com roupas velhas e sapatos velhos – o povo estava pobre.

  5. Pôxa
    Tá certo que o meu teclado está meio ruim (desculpa),
    mas eu podia revisar o texto né?: Palácio de Kensington (o da Lady Di, que por sinal eu via da janela do hotel)

  6. O câmbio fechou as 17:40h da sexta-feira (01ago2008) a 3,075080 para compra (e cerca de 3,45 para a venda) conforme dados do BC.
    Logo, se você quer vender uma moeda de 50 pence hoje é vale R$1,50.
    Mas se você quer comprar, ela vale R$1,72.
    Como o câmbio varia diariamente…

  7. Ola tudo bem ?

    Tenho alguns penny e pences de 1971 ate 1994, eles valem algo para um colecionador ? No total tenho uns 120 pences em moedas .

    UMA DELAS DIFERENTE QUE TENHO É 1 NEW PENNY DE 1973 E OUTRA 5 PFENNIG TEM UM F NO MEIO DE 1970.

    Grato pela atençao

    Wilson

  8. Eu continuo confusa…rs… apesar do post estar muito bem explicado, tem tipos demais de moedas. Teria que ficar consultando sempre que aparecesse alguma referência no livro.

  9. Muito legal esse post! Achei justamente quando estava procurando quanto diabos valia meia coroa (lendo Os Quatro Grandes). Mas na época em que a maioria dos livros foi escrita, 1 libra era realmente bastante dinheiro. Lembro-me que no conto “Uma canção de meio xelim” uma governante menciona que as despesas da casa não chegavam a 5 libras por mês…
    E em “Poirot perde uma cliente”, a casa da Srta. Arundell é posta à venda por cerca de 200 libras (e, puxa, é uma mansão o_O)

    Teríamos algum parâmetro de comparação ou é muito longe da nossa própria realidade?

  10. Muito interessante, acho um pouco complicado, mas talvez o seja somente porque estamos acostumados com sistema centesimal (1 Dollar = 100 centavos/ 1 real = 100 centavos), e realmente era muito valorizada a moeda visto que 1 libra era muito. A historia de Sherlock Holmes se passa nesse contexto monetário também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s