Baseados em Agatha

Miss Oliver a filé à l’anglaiseSempre desejando que novos filmes agathachristianos sejam produzidos e cheguem até nós, acabei de ver no IMDB que há algumas produções que que estão em andamento e têm a ver com a Dama do Crime de uma forma ou de outra:

Miss Oliver a filé à l’anglaise (em produção para o cinema, França, 2008, citado como comédia… Com direção de Claude Zidi, este tem ficha no Wikipedia, mas ainda com poucas informações)

Marple: A Pocketful of Rye (anunciado para a TV, Reino Unido, 2008, com Julia McKenzie como Miss Marple)

Le Crime est notre affaire (ainda sendo filmado para o cinema, França, 2008, com Chiara Mastroianni no elenco e uma atriz chamada Catherine Frot fazendo… Prudence Beresford !)

Le Grand alibi (em pós-produção, França, 2008)

Em breve, mais informações. Foi só para dar um gostinho (e torcer para que cheguem ao Brasil). Uma lista completa, também dentro do IMDB, de filmes para cinema e TV que de alguma forma envolvem a Dama do Crime (adaptações de livros, produções baseadas em suas obras, etc) pode ser vista clicando aqui.

Assassinato no Campo de Golfe

Sinopse de Hamilton dos Santos: Tudo começa no vagão de um trem que marcha de Paris a Londres. O velho Capitão Hastings lê tranquilamente o seu jornal quando começa a ser estranha e irresistivelmente assediado por uma mulher que diz adorar histórias de crime. Hastings não hesita e lhe conta que é amigo e espécie de secretário daquele que talvez seja o maior detetive de todos os tempos. Hastings, claro, está falando de Hercule Poirot, com quem divide um apartamento em Londres. A viagem chega ao fim e tudo que Hastings fica sabendo da tal mulher é que ela se autodenomina Cinderela. Na manhã seguinte, enquanto toma café e conversa com o perfeccionista homenzinho de bigode militar, Hastings apanha a correspondência e logo percebe que há uma carta pedindo o socorro e os serviços de Poirot. Em seguida começam a aparecer os cadáveres. A pergunta é: que ligação terão essas mortes com a encantadora Cinderela por quem, claro, Hastings ficou apaixonado? Qual a relação entre um cano de chumbo e um campo de golfe? As respostas para todas essas perguntas, o leitor só fica sabendo na penúltima página desta que é uma das mais divertidas hsitórias da Dama do Crime, Agatha Christie.

The Murder on the Links (1923)
(Poirot, O Golfe e O Crime, em Portugal)

Citações e referências
Referências à vida pessoal, humor e métodos de Hercule Poirot:
Continuar lendo

Richard Widmark

Assassinato no Expresso do Oriente, cartazTendo falado recentemente no Expresso do Oriente e conforme amplamente noticiado, no último dia 25 de março de 2008 faleceu o ator americano Richard Widmark:

(…) en el Reino Unido, se puso ante las cámaras como coleccionista americano en la adaptación cinematográfica de la novela de Agatha Christie ‘Asesinato en el Orient Express’, realizada por Sidney Lumet.

O trecho acima foi retirado deste artigo, em espanhol. O personagem de Widmark era Mr. Ratchett.

Notícias de teatro

Um apanhado das notícias da semana sobre encenações teatrais de obras de Agatha Christie no Canadá e nos Estados Unidos.

cast members Norm Shaver, left to right, Dustin Crispell, Barbara Krauss, Brandon Dickerson, Stacey Jo Oropello, Catherine Russo, Mike Galacci and Mike Carlson.Em Elmira, NY/EUA, a companhia da Waverly Opera House encena A Ratoeira até 13 de abril.

“It’s typical Agatha Christie, the fun is figuring out who done it and it’s not who you think it is,” says Barbara Cameron Caum, the play’s director. “It’s such a wonderful play.” (Star Gazette)

Continuar lendo

Agatha Christie and Archaeology

Expresso do OrienteEm sua autobiografia (1977), Agatha Christie dizia:

All my life I had wanted to go on the Orient Express. When I had travelled to France or Spain or Italy, the Orient Express had often been standing at Calais, and I had longed to climb up into it. Simplon-Orient-Express–Milan, Belgrade, Stamboul…

Desnecessário dizer que o Expresso do Oriente foi tema de um de seus livros mais famosos. O site abaixo é apenas uma das quatro seções que fala de Agatha Christie e, nesta primeira parte, tem foco justamente no Orient Express (com destaque para as fotos e ilustrações):

Agatha Christie and Archaeology

A mulher que mais crimes tinha na consciência

ac-diario.jpgO jornalista português Fernando Madaíl escreveu, em artigo para o Diário de Notícias, sobre a impressão que a visita da escritora ingles Agatha Christie provocou em quem testemunhou sua visita à Portela (região de Braga) em 1965, enquanto acompanhava o marido que fôra convidado para proferir duas conferências sobre a Mesopotâmia.

E, no entanto, o convidado era o seu segundo marido, que escavara no Iraque e na Síria, enquanto ela, usando vestido de seda nas estações arqueológicas, limpava milenárias peças de marfim e congeminava os enredos de Assassínio na Mesopotâmia (1936), Morte no Nilo (1937), Morte entre as Ruínas (1938) ou E no Final, a Morte (1945). (Diário de Notícias)

Galeria de Fãs: John Banville

O jornalista e escritor irlandês John BanvilleJohn Banville (foto) é um escritor e jornalista irlandês que às vezes escreve com o pseudônimo Benjamin Black. Seus livros O Livro das Provas, o primeiro de uma trilogia, e O Mar ganharam prêmios prestigosos de literatura. O jornal Houston Chronicle publicou resenha sobre seu livro mais recente, sob pseudônimo, The Silver Swan.

As a kid growing up in Wexford, he read Agatha Christie, Dorothy L. Sayers, Josephine Tey — “the English ladies in flowered frocks with murder in the hearts.” He moved on to James M. Cain. “I think The Postman Always Rings Twice is a masterpiece,” he said. He’s a big fan of Georges Simenon’s “hard novels,” which New York Review Books is reprinting, and of Richard Stark, the name under which Donald Westlake writes his Parker books. (Houston Chronicle)