Citando Agatha – Semana de 21 a 27.07.2008

Este post pertence à série “infinita e semanal” (publicado sempre às terças) de posts que abrangem um resumo (de alguns) dos blogs que citaram Agatha Christie durante a semana anterior, a fim de registrar, periodicamente, parte desta enormidade de sites que falam, por um motivo ou por outro, sobre a Dama do Crime. Neste post, citações de blogs em português de 21 a 27.07.2008.

21.07.2008
Blog: Confissões de Uma Quase Senhora (Portugal)
Post: As minhas descobertas televisivas

(…) eu que habitualmente não vejo os canais nacionais, com excepção da RTP2 descobri há cerca de uma semana que na RTP Memória iam passar alguns filmes do Hercule Poirot. Fiquei super contente, adoro as histórias de Agatha Christie. Quando era miúda “devorava” os livros de mistério e suspense e os meus personagens preferidos eram Hercule Poirot e Sherlock Holmes das histórias de Sir Arthur Conan Doyle.

21.07.2008
Blog: Broken | s2
Post: =T

(…) coisas que gostaria de fazer antes de morrer
1. Ser bem sucedida na vida, tanto em profissão, como amor etc etc
2. Fazer algo de bom para o mundo
3. Ir num show do NxZero
4. Ler todos os livros de Agatha Christie (…)

21.07.2008
Blog: Mundo Fantasmo
Post: A porta de entrada

Minha apreciação da obra musical de Frank Zappa ficou comprometida durante muitos anos pelo fato de que o primeiro disco que escutei foi Reuben and the Jets, que é uma sátira aos conjuntinhos pop. Fiquei perplexo: “Oxente, é esse o cara que chamam de gênio patafísico da vanguarda do rock?” Só tentei de novo dez anos depois. Imagino a decepção de quem tente conhecer Bob Dylan ouvindo o Self Portrait, Alfred Hitchcock assistindo Topázio, ou Agatha Christie lendo O mistério dos sete relógios.

23.07.2008
Blog: O Bicho dos Livros (Portugal)
Post: Leituras adolescentes

(…) o policial não é um subgénero menor, e que este primeiro passo poderá ajudar a criar novos leitores de Conan Doyle ou Agatha Christie…

23.07.2008
Blog: DVeras em Rede
Post: O aprendiz de criminoso

Livre, num raro lampejo de inteligência, intuiu que sua carreira criminosa não teria futuro. Zarpou para o exterior, onde vive até hoje, casado e com filhos. Se colocar de novo os pés no Brasil, imagino que será condenado a ver filmes policiais e ler romances de Agatha Christie por dez anos até deixar de ser burro. Woody Allen adoraria filmar a vida desse cara.

23.07.2008
Blog: Regueifadoirao
Post: Dois segredos- Massimo Finucci e Paul Inglethorp

Inglethorp- Em homenagem a Alfred Inglethorp, personagem do livro de Agatha Christie “O Misterioso Caso de Styles”

23.07.2008
Blog: Toca do Escritor
Post: Agatha Christie

Nascida Agatha Mary Clarissa Miller em Torquay, condado de Devonshire, Inglaterra, a 15 de setembro de 1890. Filha de uma casal tipicamente vitoriano, mesmo sendo o pai, Frederick Miller, americano, foi criada segundo a melhor tradição européia. (…)

23.07.2008
Blog: Biblioteca Municipal de Grândola (Portugal)
Post: Ilustre Desconhecido: Agatha Christie

Agatha Christie (1890-1976)

24.07.2008
Blog: Novato na Bolsa
Post: Mas tá difícil…

Olhando agora, depois de tudo, essa é claramente a atitude certa que deveria ter sido tomada. Mas de volta a uma expressão que já usei antes, previsão do passado é ciência exata. Esse negócio parece livro de Agatha Christie, quando você descobre o assassino, no final do livro, se dá conta de que as informações já estavam todas disponíveis ao longo do livro, faltava mesmo era consolidar.

25.07.2008
Blog: Confissões de uma quase senhora
Post: Leituras e o meu menino

Quando chegou a casa leu outro que tenho desde miúda e mais um de Agatha Christie – Hercule Poirot. Agora já está a ler outro também de Poirot e está a gostar bastante.

26.07.2008
Blog: Topismos
Post: Top 5 livros que me fizeram ler

Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie: Continuando no apelo internacional e universal do mistério (chego a pensar que todos os livros são de mistério porque eventualmente segredos vêm à tona tanto em romances quanto em farsas) temos a dama do crime, Agatha, em sua mais incrível criação. O primeiro “grande” livro que comprei e devorei foi “O Assassinato no Expresso do Oriente”. Fiquei admirado com a sagacidade de Hercule Poirot (nunca soube pronunciar corretamente o nome dele) interrogando os doze encurralados suspeitos de assassinar um rico viajante que dividia com eles uma cabine no luxuoso Expresso do Oriente. Como resolver um crime sem apelar pra digitais e DNA? Hercule Poirot consegue!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s