Citando Agatha – Semana de 22 a 28.09.2008

Este post pertence à série “infinita e semanal” (publicado sempre às terças) de posts que abrangem um resumo (de alguns) dos blogs que citaram Agatha Christie durante a semana anterior, a fim de registrar, periodicamente, parte desta enormidade de sites que falam, por um motivo ou por outro, sobre a Dama do Crime. Neste post, citações de blogs em português de 22 a 28.09.2008.

26.09.2008
Blog: As Palavras de Rosie-Posie
Post: O mistério agrada-me…

Adoro Agatha Christie há tanto tempo que não me recordo de quando a “conheci”. O gosto da minha irmã mais velha por este género de literatura levou-me a apaixonar-me também e gostar de mistério e não gostar de Agatha Christie é quase crime…

Continuar lendo

Agatha em Selo – 2

Hercule Poirot em selo - Nicarágua

Hercule Poirot em selo - Nicarágua

Uma série da Nicarágua homenageou, em forma de selos, os grandes nomes da literatura policial:

El pequeño Belga con la cabeza en forma de huevo, apareció por primera vez en “El Misterioso Asunto en Styles” excrita por Agatha Christie en 1920. Hercules Poirot alcanza fama internacional en 1926, cuando “El Asesinato de Roger Ackroyd” fue publicado. La revelación de este misterio, del narrador como el acusador, originó un violento debate en el mundo de la novela policiaca de ficción.

La popularidad que Poirot recibió entonces ha continuado con él. Sus pequenas “células grises” son legendarias por su exactitud. Poirot está clasificado como perteneciente sistema del intuicionismo, usando el enfoque teorético en vez de cientifico para la deducción.

[Leia mais e veja outra ilustração clicando aqui]

Os jardins de Greenway House (1)

Assim, fomos até a Greenway House; realmente, a casa e os terrenos que a rodeavam continuavam lindíssimos. Era uma residência georgiana, de cerca de 1780 ou 1790, com um bosque que descia suavemente até o Dart e muitas árvores e arbustos — a casa ideal, um sonho de casa. (Agatha Christie, Autobiografia, Círculo do Livro)

Jardim Murado Sul

Jardim Murado Sul

Continuar lendo

Doctor Who: Dickens, Shakespeare, Agatha, Rowling…

J. K. Rowling

J. K. Rowling

E-mails retirados do livro “Doctor Who: The Writer’s Tale”, de autoria de Russell T. Davies e do jornalista Benjamin Cook, foram publicados em 15.09.2008 pelo site do Times Online numa matéria denominada “Doctor Who’s secrets revealed, by Russell T. Davies” sobre possibilidades para o final de “Doctor Who”, popular série de TV. Segundo o site, Russell começou a trabalhar com Cook no livro sobre o final da série no ano passado, e a troca de e-mails entre eles “fornece uma percepção única do show, e revela alguns dos segredos mais bem guardados“.

Nos emails há uma mensagem que revela que Russell solicitou à autora J.K Rowling, da saga Harry Potter, que escrevesse um episódio do seriado, convite recusado pela mesma: na mensagem, Russell cita Agatha Christie.

Continuar lendo

Citando Agatha – Semana de 15 a 21.09.2008

Este post pertence à série “infinita e semanal” (publicado sempre às terças) de posts que abrangem um resumo (de alguns) dos blogs que citaram Agatha Christie durante a semana anterior, a fim de registrar, periodicamente, parte desta enormidade de sites que falam, por um motivo ou por outro, sobre a Dama do Crime. Neste post, citações de blogs em português de 15 a 21.09.2008.

15.09.2008
Blog: Identidades II
Post: Agatha Christie nasceu há 118 anos

Estranho, que em Portugal, Agatha Christie continue a ser considerada (como outros escritores de obras policiais) um escritora menor. Sempre a considerei magistral em compor personagens que caracterizavam a época e determinados estereotipos sociais.

Continuar lendo

Grande Bretagne Hotel

Em seus filmes, James Bond sempre teve bom gosto – ou melhor, sempre teve verba suficiente para se hospedar em hotéis de luxo. Um de seus preferidos é o suntuoso Grande Bretagne Hotel, em Atenas, na Grécia, onde já apareceu nas telas bebendo seus drinks no bar do hotel. O Grande Bretagne Hotel foi fundado no ano de 1862 e sempre recebeu celebridades e autoridades durante visitas oficiais à Grécia. Entre as personalidades, Agatha Christie, Coco Chanel, a família Rokefeller, o clã dos Kenneds, entre outros. Sofreu reformas depois da guerra, atualmente pertence à cadeia Starwood, mas continua sendo um dos mais requisitados pelos que podem pagar por seu luxo e conforto.

Site oficial do hotel:
http://www.grandebretagne.gr/

Leia mais e veja mais fotos do hotel clicando aqui.

A linguagem das flores

Cuidado com o que diz!

Cuidado com o que diz!

– Minha irmã e eu tivemos uma governanta alemã, uma Fräulein. Era uma pessoa muito sentimental. Ela nos ensinou a linguagem das flores, um tipo de estudo hoje esquecido. (…)
– Um homem costumava mandar-me orquídeas roxas todas as noites, no teatro – disse Jane em tom sonhador.
– Isso queria dizer “estou à espera de seus favores” – declarou Miss Marple num tom animado. (Os Treze Problemas, Nova Fronteira, pág. 140-141)

Dame Agatha Christie conhecia jardinagem e hortelagem bem o bastante para usar plantas em diversas de suas tramas, mas foi no conto Os Quatro Suspeitos que este conhecimento foi crucial para a solução do caso.

Há muitas estórias e lendas em relação ao significado das flores. Diz uma lenda na Turquia que em meados do século XVIII um inglês teria feito a seguinte afirmação: “aqui se pode brigar, censurar, mandar cartas de paixão, amizade ou civilidade, ou mesmo notícias, sem nunca ter de sujar os dedos com tinta!”. A explicação para tal informação é em relação a uma espécie de código que os turcos usavam através de flores para expressar seus sentimentos. Cada espécie de flor tinha um significado específico, assim, um buquê bem feito podia comunicar praticamente qualquer combinação de sentimentos.

Continuar lendo

Mais matérias sobre as gravações

Diversos sites divulgaram esta semana matérias sobre as gravações recentemente encontradas, que foram objeto de posts aqui em A Casa Torta nos últimos dias. O texto abaixo é do Globo Online:

Vinte e sete rolos contendo 13 horas de gravações feitas pela escritora britânica Agatha Christie foram encontrados por seu neto Mathew Prichard, em uma de suas antigas residências. Gravadas na década de 1960, as fitas reúnem relatos de Christie sobre a própria vida, que seriam o material bruto de sua autobiografia, publicada postumamente em 1977. A escritora, cujo nascimento completa 118 anos nesta segunda-feira, fala também sobre seus personagens. “Um completo egoísta”, ela diz de Hercule Poirot, seu brilhante detetive belga. “Gorducha e solteirona,” ela descreve Miss Marple. O apetite por qualquer coisa ligada a Agatha Christie continua forte na Inglaterra. Fãs realizam um festival anual em sua homenagem, com peças de teatro, caças ao tesouro e festas com mistérios. Mais de 500 mil exemplares de seus livros são vendidos anualmente.

Continuar lendo

Treze horas de gravações de Agatha Christie

Foto atual da biblioteca de Greeway House

Foto atual da biblioteca de Greenway House

Terceira de série de notícias sobre as fitas gravadas por Agatha Christie. Na notícia da BBC em português se diz que as fitas foram encontradas na cidade de Torquay, onde Agatha nasceu e passou a infância e adolescência em Ashfield, mas na verdade foram achadas em Greenway House (v. matéria de quarta-feira), Greenway Estate, que também localiza-se no Devon porém na cidade de Galmpton. Greenway será aberta ao público ainda em 2008.

Treze horas de gravações inéditas feitas pela escritora britânica Agatha Christie, uma das mais famosas criadoras de histórias de mistério de todos os tempos, foram divulgadas nesta segunda-feira, quando ela faria aniversário.
As gravações em áudio, feitas há 40 anos, foram descobertas pelo neto da escritora, Matthew Prichard, em uma caixa de papelão no sótão da antiga casa de Christie na cidade de Torquay, no oeste da Inglaterra.

Continuar lendo

Gravações de Agatha

Agatha em 1946

Agatha em 1946

Uma matéria publicada em 14.09.2008 no The New York Times:

“A complete egoist,” Agatha Christie said of Hercule Poirot, her brilliant, diminutive, impeccably dressed Belgian detective.

“Puffy and spinsterish,” she quipped of Miss Marple, her other famous sleuth. “The old spinster lady living in a village.”

Uttered in the reedy voice of Christie herself, these withering descriptions are contained on a cache of audiotapes, recently discovered in a dusty cardboard box in one of her former houses by her only grandson, Mathew Prichard.

The tapes — 27 reels running a total of more than 13 hours — are filled with Christie’s painstaking dictation of her life story, rough material recorded in the early 1960s that eventually made up her autobiography, published posthumously in 1977. It stands as one of only a handful of recordings of Christie, the British mystery writer, who rarely agreed to be interviewed.

Continuar lendo

Ouça Agatha

Grundig Memorette 1968

Grundig Memorette 1968

Esta é a primeira de uma série de matérias publicadas na Internet sobre a descoberta de fitas gravadas pela Rainha o Crime. Há pelo menos dois posts com outros detalhes diferentes do abaixo, programados para amanhã e sexta-feira.

Agatha Christie usou sua avó como modelo para Miss Marple, revelam novas gravações

Encostados por mais de 40 anos, fitas de áudio contendo a voz inconfundível de Agatha Christie foram descobertas, mostrando que ela baseou Miss Marple em sua própria avó.

Seu neto Mathew Prichard tropeçou em 27 fitas de meia hora numa caixa de papelão empoeirado ao limpar um depósito em Greenway, a propriedade em estilo georgiano com vista para o estuário do Dart que Christie chamava de “o lugar mais agradável do mundo”.

As fitas, que ninguém sabia existirem, são o material bruto em que se baseia parte de sua autobiografia.

Continuar lendo

Citando Agatha – Semana de 08 a 14.09.2008

Este post pertence à série “infinita e semanal” (publicado sempre às terças) de posts que abrangem um resumo (de alguns) dos blogs que citaram Agatha Christie durante a semana anterior, a fim de registrar, periodicamente, parte desta enormidade de sites que falam, por um motivo ou por outro, sobre a Dama do Crime. Neste post, citações de blogs em português de 08 a 14.09.2008.

10.09.2008
Blog: Criaturas
Post: Folhetim #3

Edgar Allan Poe inventou com três contos – “Os Crimes da Rua Morgue”, “O Mistério de Marie Roget” e “A Carta Roubada” -, ele sozinho, a literatura policial, que são o conto e o romance de mistério. Todos os cultivadores do gênero recém-criado foram seus epígonos, de Arthur Conan Doyle, criador do insólito Sherlock Holmes, a Dashiell Hammett e Raymond Chandler, romancistas que foram também contistas e, de passagem, renovaram o gênero. Uma epígona (se alguém disse “jóvenas”, eu posso muito bem dizer “epígona”), Agatha Christie, disse: “O conto é o domínio natural da literatura de crime e mistério”.

Continuar lendo

Igreja de Todos os Santos

A fonte em que Agatha Christie foi batizada

A fonte em que Agatha Christie foi batizada

Meu pai era homem de coração simples e cristão ortodoxo. Dizia suas orações todas as noites, e ia à igreja todos os domingos. Sua religião era prática e sem as inquietações de minha mãe, mas, se minha mãe gostava de elaborar seus sentimentos religiosos, ele não via por que discordar: meu pai, como já disse, era um homem muito agradável.
Acredito que se sentiu aliviado quando minha mãe regressou à Igreja da Inglaterra a tempo para que eu fosse batizada na igreja da paróquia. Fui chamada Mary, porque era o nome de minha avó; Clarissa, porque era o nome de minha mãe; e Agatha surgiu posteriormente, sugerido já a caminho da igreja por uma amiga de minha mãe, apenas porque o achava bonito. (Agatha Christie, Autobiografia, Círculo do Livro)

Agatha Christie nasceu em 15 de setembro de 1890 em uma casa chamada Ashfield na paróquia de Torre, a cerca de 20 minutos de caminhada da Igreja All Saints. Foi a mais jovem de três crianças, com uma irmã mais velha chamada Margaret (Madge) e um irmão, Monty, que era 10 anos mais velho do que ela. Seu pai era americano, sua mãe inglesa e seus nomes eram Frederick e Clara.

Continuar lendo

O mistério Agatha

Na biblioteca de Greenway House

Na biblioteca de Greenway House

O mundo mudou desde que Agatha Christie nos deixou, em 1976. As pessoas hoje vivem à sombra do terrorismo, mesmo na Inglaterra onde Poirot e Miss Marple fizeram a sua parte. Entretanto, o fato de que seus livros têm sido lidos por bilhões de leitores apenas demonstra que, subconscientemente ou não, um grande número de pessoas compartilha da fé de Christie de que o crime é uma aberração que é resolvida a caminho de um final feliz.

Esta é a conclusão de um artigo publicado no The Economic Times, jornal indiano, que tenta responder a questão da permanência de Agatha Christie entre os autores mais lidos do mundo.

So what makes Agatha Christie so universally popular to an extent where people who swoon at the sight of a drop of blood keep reading and re-reading murder novels where the culprit is brought to book in the last chapter? It could be a case of familiarity breeding content for a reader who wants to be transported to a different world. Christie’s greatest gift was that she could make even a murder mystery infinitely soothing. The past always looks pleasant in retrospect and Christie takes us back to the English countryside set in the two decades between the end of World War I and the beginning of World War II. (The Sunday Economic Times)

Por que todo mundo tem carinho por Miss Marple?

Assassinato na casa do pastor saiu em 1930, mas não consigo lembrar onde, quando e como o escrevi, ou por que o escrevi, nem sequer o que me sugeriu a idéia de criar uma nova personagem — Miss Marple, a investigadora da história. Estou certa, porém, de que, nesse tempo, não tinha a menor intenção de continuar com ela para o resto da vida. Não sabia que se tornaria rival de Poirot. (Agatha Christie, Autobiografia, Círculo do Livro)

Mestre do Mistério

Mestra do Mistério

Em artigo publicado nesta sexta-feira, 12, a jornalista Virginia Mason relembra as atrizes que personificaram a “velhinha de todas as velhinhas”, a abelhuda Miss Marple, detetive amadora criada por Agatha Christie; sua motivação vem da espera pela estréia de uma nova Miss Marple em 2009, com Julia McKenzie assumindo o lugar de Geraldine McEwan na série homônima.

Segundo Jennifer Pell, a proprietária da livraria “Fred Wade” em Halifax, a personagem nunca sairá de moda porque sempre há uma nova geração de fãs a descobrir a velha senhora de cabelos brancos e maneiras gentis.

But perhaps it was the BBC TV series featuring the gentle acting of Joan Hickson that best captured the essence of the character. Hickson was a resounding success and allegedly a favourite of Agatha Christie.
The story goes that the two met on the set of Murder She Said, in which Joan Hickson was playing a minor role, when the novelist told her: “Some day I would like you to play my Miss Marple.” (Halifax Courier)

Pelas mãos de Agatha

Carta escrita por Agatha

Carta escrita por Agatha

Depois de tantos anos lendo os mistérios de Agatha em impressões tipográficas das diversas edições veiculadas pelo mundo, uma curiosidade: na figura ao lado podemos ver um manuscrito da Rainha do Crime, na verdade uma carta, escrita de próprio punho. É o que garante o texto abaixo, de Felicity Windmill:

(…) imagine my surprise, and subsequent delight, at discovering in our archive a ream of letters between Agatha Christie (one of my favourite authors) and her good friend William ‘Billy’ Collins, whose family had founded the Collins publishing house more than a hundred years previously. Then imagine my disappointment at realising that they are almost entirely illegible. Yep – top of the class for crime writing; bottom for handwriting…

Veja o texto completo clicando aqui.

Isokon Flats

Em 1940, “não há necessidade de guardar os tapetes com bolas de naftalina” — isso quando o Almirantado ocupou minha casa: “Não durará até o inverno”. […] Enchemos caixotes e caixotes de maçãs, e enviei-as a todas as pessoas minhas conhecidas que tinham crianças e que poderiam apreciá-las. Não podia imaginar-me regressando ao Lawn Road Flats com duzentas cebolas. Tentei oferecê-las aos hospitais, mas parece que por toda parte havia fartura de cebolas. (Agatha Christie – Autobiografia, Ed. Círculo do Livro)

Edificio Isokon, Lawn Road, Hampstead

Edifício Isokon, Lawn Road, Hampstead

Melita Norwood (em solteira Simis), uma bisavó residente em Londres que se descobriu que era espiã da KGB em 1999, era suspeita de traição anos antes de começar a passar segredos britânicos para Moscou.

“This means that in 1938 MI5 had already opened a personal file on her, and yet she was vetted and allowed to work on the Tube Alloys project [codename for the atomic bomb]. The Russians certainly wanted to keep her active, so somebody must have told them her cover had not been blown.” Norwood had worked since the 1930s as secretary to the director of the British nonferrous metals research association, G L Bailey, who was a consultant to the Tube Alloys project. (Times Online)

Continuar lendo

Contagem Regressiva Para os 118 Anos

Faltam apenas 05 dias para a data em que Agatha Christie faria 118 anos. A mestra dos livros de mistério nasceu em 15 de setembro de 1890, e os fãs já estão se mobilizando pelo mundo para comemorar a data, inclusive em Torquay, cidade natal da Dama do Crime. Abaixo, reprodução de uma matéria encontrada num site inglês:

Whodunnit fans are being invited to join the celebrations for Agatha Christie’s 118th birthday when the annual week-long celebration of the author gets underway on September 14th.

The author’s work is to be celebrated across a range of media with the premiere of a new Poirot television adaptation of Mrs McGinty’s Dead on ITV1 and a special performance of Christie’s classic play The Mousetrap at London’s St Martin’s Theatre for 200 children from disadvantaged neighbourhoods in and around London.

Continue lendo »

Katie Leung em Um Gato Entre Os Pombos

Daniel Radcliffe Katie Leung

Daniel Radcliffe e Katie Leung

Segundo o site do londrino Sunday Mail, a atriz Katie Leung, que interpreta a Cho Chang na versão cinematográfica da saga Harry Potter escrita por J. K. Rowling, terá um papel na série Poirot:

Harry Potter star Katie Leung is making her screen comeback.

The return of the 20-year-old Scots actress to the screen will delight fans who feared she was going to quit drama for good after going to university.

She said her acting would be sacrified because of her determination to devote all her attention to her photography course.

But she is filming the latest Poirot adventure with David Suchet for ITV1.

Katie, from Motherwell, shot to fame as Hogwarts pupil Cho Chang who gave boy wizard Harry (played by Daniel Radcliffe) his first kiss in latest blockbuster Harry Potter and The Order Of The Phoenix.

And she is back in school uniform in Cat Amongst The Pigeons, the new all-star Agatha Christie adaptation which stars Suchet as the Belgian detective.

Continue lendo »

Citando Agatha – Semana de 01 a 07.09.2008

Este post pertence à série “infinita e semanal” (publicado sempre às terças) de posts que abrangem um resumo (de alguns) dos blogs que citaram Agatha Christie durante a semana anterior, a fim de registrar, periodicamente, parte desta enormidade de sites que falam, por um motivo ou por outro, sobre a Dama do Crime. Neste post, citações de blogs em português de 01 a 07.09.2008.

01.09.2008
Blog: Os Peludos da Mélinha
Post: Agatha Christie

Agatha Mary Clarissa Mallowan, mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial, britânica e autora de mais de oitenta livros. Seus livros são os mais traduzidos de todo o planeta. É conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos.

Continue lendo »

Mais um lançamento inédito

The Harlequin Tea Set

The Harlequin Tea Set

Da seção de notícias do site da editora L&PM:

Mais um livro inédito de Agatha Christie na Coleção L&PM Pocket

Por L&PM Editores

A Coleção L&PM Pocket publica mais um título inédito de Agatha Christie, a grande Rainha do Crime. O livro The Harlequin Tea Set and Other Stories (ainda sem título em português) será lançado em outubro, com tradução de Pedro Gonzaga. São nove contos nunca antes publicados no Brasil, no melhor estilo da autora: histórias entrelaçadas de acontecimentos misteriosos e personagens intrigantes.

Neste ano, a L&PM também publicou os inéditos A teia da aranha, romance policial que é uma adaptação da peça homônima escrita por Agatha Christie em 1954, e Poirot sempre espera e outras histórias, coletânea de sete contos, vários deles protagonizados pelo inspetor Hercule Poirot.

A escritora mais lida de todos os tempos tem ainda oito títulos publicados na Coleção L&PM Pocket: os romances É fácil matar, Mistério no Caribe, Nêmesis, A noite das bruxas, Um passe de mágica, Por que não pediram a Evans?, o livro de contos O misterioso Sr. Quin e a coletânea de peças Testemunha da acusação.

Lista dos nove contos reunidos em The Harlequin Tea Set & Other Stories, título original (título brasileiro):
Continuar lendo

Sinodun Players

Por fim, vimos um anúncio no Times. Foi no outono, pouco mais ou menos uma semana antes de partirmos para a Síria.
“Olhe aqui, Max”, disse eu, “há um anúncio de uma casa em Wallingford. Você se lembra de como gostamos de Wallingford? E se for uma casa junto ao rio? Não havia nenhuma para alugar, quando fomos lá.” Telefonamos ao agente e corremos para Walling­ford. (Agatha Christie, Autobiografia, Círculo do Livro)

Corn Exchange Theatre, Market Place

Corn Exchange Theatre, Market Place

O documentarista Nicholas Brazil, natural de Whitchurch, está para lançar seu documentário sobre a cidade vizinha Wallingford, no Oxfordshire. O título é The Crucible of History: The story of Wallingford. Arthur Tudor, filho mais velho de Henry 7º e primeiro marido de Catarina de Aragão, era o castelão do Castelo de Walligford quando faleceu em 1502 e deixou trono, coroa, castelo e esposa para Henrique 8º. Agatha Christie e seu marido, o arqueologista Max Mallown, foram alguns dos moradores famosos da cidade, cuja história remonta ao tempo dos Saxões. O rei Alfred O Grande fortificou a cidade contra as invasões vikings; esses muros ainda são vistos no centro de Wallingford e são considerados os mais preservados da Inglaterra.

“Agatha Christie lived on the town’s outskirts from the 1930s. She was actually president of the Sinodun Players. They had the great privilege of probably the biggest selling crime author attending their productions,” he said. (Henley on Thames)

Continuar lendo