Isokon Flats

Em 1940, “não há necessidade de guardar os tapetes com bolas de naftalina” — isso quando o Almirantado ocupou minha casa: “Não durará até o inverno”. […] Enchemos caixotes e caixotes de maçãs, e enviei-as a todas as pessoas minhas conhecidas que tinham crianças e que poderiam apreciá-las. Não podia imaginar-me regressando ao Lawn Road Flats com duzentas cebolas. Tentei oferecê-las aos hospitais, mas parece que por toda parte havia fartura de cebolas. (Agatha Christie – Autobiografia, Ed. Círculo do Livro)

Edificio Isokon, Lawn Road, Hampstead

Edifício Isokon, Lawn Road, Hampstead

Melita Norwood (em solteira Simis), uma bisavó residente em Londres que se descobriu que era espiã da KGB em 1999, era suspeita de traição anos antes de começar a passar segredos britânicos para Moscou.

“This means that in 1938 MI5 had already opened a personal file on her, and yet she was vetted and allowed to work on the Tube Alloys project [codename for the atomic bomb]. The Russians certainly wanted to keep her active, so somebody must have told them her cover had not been blown.” Norwood had worked since the 1930s as secretary to the director of the British nonferrous metals research association, G L Bailey, who was a consultant to the Tube Alloys project. (Times Online)

Lawn Road flats, no. 22

Lawn Road flats, no. 22

Seu arquivo no MI5 (Military Intelligence, Section 5) remonta no mínimo a 1938, segundo o escritor David Burke, autor do livro The Spy Who Came in From the Coop. Foi nesse ano que o espião Percy Glading foi condenado por coordenador uma rede de espionagem dentro do arsenal Woolwich. O nome de Melita Simis constava de uma lista de nomes encontrada com Glading.

Nessa época ela residia no Edifício Isokon, ao norte de Londres, e tinha como vizinhos Arnold Deutsch, agente que espionava para os soviéticos e responsável pelos Cambridge Five (Burgess, Philby, Maclean, Blunt and Cairncross); a família Kuczynski, cuja filha, Ursula, tornou-se a responsável da KGB por Melita Norwood e pelos espiões Klaus Fuchs e Alan Nunn May; e a escritora Agatha Christie (durante a Segunda Guerra Mundial, de 1940 a 1946, quando o Almirantado ocupou sua casa Greenway House).

Everybody has read Agatha Christie’s comment about the ultra-modern 1933 Bauhaus-style Isokon flats being like a “giant liner” without any funnels, and most know that she was one of several famous people who once lived there, but that is often as far as it goes. (Camden New Journal)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s