Botulismo

– (…) Estava convencido de que a morte de Mrs. Jones fora causada pelo botulismo. A ceia, naquela noite, consistira em lagosta enlatada, salada, bolo confeitado, pão e queijo. (Os treze problemas, Nova Fronteira, pág. 13)

Bactéria Clostridium botulinum

Bactéria Clostridium botulinum

“Não dê mel aos bebês” é uma das regras que fazem parte da lista de coisas que você deve saber (como “não misture amônia com cloro” e “não use areia de praia para fazer concreto”) e que precisam de mais divulgação porque são muito importantes.

A palavra botulismo descreve um tipo de intoxicação. Uma classe de bactérias chamada Clostridium botulinum que cria uma proteína chamada toxina botulínica, e essa proteína é a causa do botulismo. A toxina botulínica invade as células nervosas estimulantes no lugar em que elas se encontram com as fibras musculares e bloqueia essa ligação para que nenhum sinal consiga passar. O resultado é a paralisia, e em casos graves ela imobiliza o paciente completamente e pode levá-lo à morte.

As bactérias do botulismo são comuns na natureza, mas são mortas pelo oxigênio. As bactérias, portanto, formam esporos que as protegem do oxigênio, e esses esporos são ativados assim que entram em ambientes livres de oxigênio. A maneira mais comum de desenvolver botulismo é por meio de ingestão de comida enlatada inadequada. Assim que a lata é fechada, cria-se um ambiente livre de oxigênio. Depois, a lata é aquecida e, se isso for feito adequadamente, os esporos morrem. Se ela, no entanto, não for aquecida de maneira adequada, os esporos são ativados na lata fechada e a enchem de toxina. Como a toxina botulínica é uma proteína, o aquecimento irá destruí-la. Se a comida enlatada for ingerida fria, o botulismo se desenvolve.

Os bebês desenvolvem botulismo por meio da ingestão de mel de uma maneira diferente. As abelhas costumam coletar esporos de botulismo enquanto coletam o néctar, e os misturam ao mel. A maioria das pessoas pode ingerir esses esporos sem problemas porque possuímos bactérias em nossos intestinos e sistemas imunológicos saudáveis que eliminam os esporos. Os bebês ainda não possuem essas defesas. Então, quando um bebê come mel, os esporos se encontram em um intestino livre de oxigênio e entram em ação. Eles produzem a toxina enquanto estão dentro do bebê.

Sintomas
Os sintomas da intoxicação pela toxina botulínica normalmente aparecem entre doze e trinta horas depois da ingestão do alimento contaminado. Alguns deles:

. aversão à luz
. visão dupla com dilatação da pupila
. disfonia, dificuldade para articular palavras
. vômitos e secura na boca e garganta
. disfagia, dificuldade para engolir
. paralisia respiratória que pode levar à morte
. constipação intestinal
. retenção de urina
. debilidade motora

Diagnóstico
O diagnóstico clínico é feito pelos sintomas: paralisia muscular progressiva, iniciando-se pela face, ptose palpebral (fecha a olho), dificuldade de deglutição, visão dupla. Os sintomas progridem pela musculatura, causando dificuldade motora e de respiração. Os sintomas podem se confundir com doenças nervosas e diversas intoxicações, como por pesticidas, o que as vezes retarda o tratamento.

O diagnóstico laboratorial é feito através da detecção da toxina no paciente ou no alimento, através da injeção em ratos.

O diagnóstico precoce é fundamental para deter a evolução da doença.

Tratamento
É uma emergência que requer administração de anti-toxina (antídoto) imediata. Se o doente apresenta déficit respiratório deve ser usada uma máquina de respiração artificial até a paralisia terminar, o que pode demorar alguns dias. São usados enemas para remover todos os restos de comida contaminada ainda não absorvidos do intestino.

Se possível deve ser dado a anti-toxina específica. Caso não identificada, é administrado o soro polivalente. A anti-toxina neutraliza apenas a toxina circulante, isto é, aquelas que já se ligaram aos nervos não é afetada. O tratamento, se tardio, pode não funcionar. Por isso é importante o diagnóstico precoce. A toxina ligada aos nervos permanece por longo período, mantendo os sintomas. A pessoa pode permanecer com sequelas nervosas por um longo período.

Notificação
Apesar de não estar incluído na Lista de Doenças de Notificação Compulsória, todos os casos devem ser informados às autoridades de saúde por se tratar de agravo inusitado, que deve ser investigado para a adoção de medidas de prevenção, em particular alerta à vigilância sanitária para apreensão de alimentos.

Medidas de Controle
a) Vigilância sanitária: do processo de industrialização e preparação de alimentos enlatados e em conserva.
b) Educação para saúde: orientação das pessoas que se dedicam à preparação de enlatados e conservas caseiras quanto às técnicas de conservação (tempo, preparo e temperatura adequada para destruição dos esporos). Informar à população sobre o risco de consumo e aquisição de alimentos em latas com tampas estufadas, ou com odor rançoso, que não podem ser ingeridos.
c) Desinfecção concorrente: alimentos contaminados devem passar por ebulição antes de serem descartados. Eliminação sanitária das fezes de lactentes doentes. Desinfecção terminal.

Fontes:
Guia Brasileiro de Vigilância Epidemiológica
Hospital Santa Lúcia – Brasília/DF
How Stuff Works
Wikipedia

Anúncios

10 pensamentos sobre “Botulismo

  1. Sou uma sobrevivente do botulismo. Fiquei 4 meses e 11 dias numa UTI e ainda me encontro em tratamento. A divulgação desta doença é necessária porque acho que não é tão rara asssim. Difícil mesmo é o diagnóstico.
    Se eu puder ser útil estou à disposição.
    Lin

  2. olá. Botulismo e coisa seria que poucas pessoas conhecem eu só tive conhecimento sobre o assunto alguns dias atrás quando tive que fazer um trabalho da faculdade!!!!temos que divulgar mais sobre o botulismo……

  3. Bom dia ,gostaria de deixar a vcs.a minha contribuição para a divulgação desta doença,estou fazendo um site bastante completo sobre o assunto,vou contar todo o ocorrido comigo durante os 130 dias que fiquei internada na UTI,por conta do botulismo,vcs podem dar uma olhada na estrutura do site ,acima só que tudo ainda esta por ser escrito e as fotos vaõ ser mudadas,tambem tenho dado o meu depoimento gratuitamente em varias universsidades de medicina ,nutrição e enfermagem,sempre gratuitamente esta é a forma que encontrei de agradecer a Deus a nova chance de viver.
    Estou a disposição para qualquer informação.
    Obrigado,

    Lin Cominatto

  4. Olá Vania,

    Em resposta a sua pergunta, segundo a minha professora de nutrição do senac, a toxina pode sim se desenvolver em uma embalagem de lata amassada,porque por dentro da lata se rompe o verniz de proteção ,a lata pode enferrujar e assim dar condições ideais para a bactéria produzir a toxina.
    Esse assunto foi matéria de uma palestra que eu dei e foi veiculada pelo SBT,assim que possível eu tento passar esta reportagem para voce.

    Um abraço,

    Lindinalva D. Cominatto

  5. O botulismo é doença de notificação compulsória imediata em 24 horas pela PORTARIA No- 5, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2006 (federal) e pela RESOLUÇÃO SES Nº 2075 DE 20 DE JUNHO DE 2003 (Estado do Rio de Janeiro). A senhora Lindinalva D. Cominatto tem toda a razão.

  6. OLA ,TUDO BEM?ME CHAMO ANA CLAUDIA E ESTOU AQUI PARA MANDAR UM SUPER BEIJO DA FAMILIA GAGNO DE PEDRA AZUL DOMINGOS MARTINS ES (DILMA,LENE DEFICIENTES VISUAIS),DONA ZULMIRA E Sr ALCIDES GAGNO,SOU NAMORADA DO SOBRINHO DELAS!!
    ELAS ME CONTARAM DO SEU SITE E ACHEI MUITO LINDA SUA HISTORIA DE SUPERAÇÃO!!!ME PASSARAM SEU SITE PARA EU LER E CONTAR TUDO PARA ELAS!!!EU AMO AQUELA FAMILIA!!!!
    UM GRANDE BEIJO E A PROXIMA VEZ QUE VC VIER QUERO TE CONHECER!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s