Digitalina

– Sei mais ou menos o que houve – disse Mrs. Bantry. – Envenenamento pela digitalina. Está certo?
O Dr. Lloyd assentiu de cabeça, comentando o seguinte:
– O princípio ativo da chamada erva-dedal, a digital, age sobre o coração. Na realidade, trata-se de uma droga muito valiosa em certas perturbações cardíacas. (Os Treze Problemas, Nova Fronteira)

Dedaleira ou campainha (Digitalis purpurea L.)

Dedaleira ou campainha (Digitalis purpurea L.)

A digitalina é extraída da Digitalis purpurea L., uma planta herbácea em forma de touceira que apresenta flores roxas, amarelas ou brancas em forma de dedal ou campainha, daí seus nomes em português: erva-dedal, dedadelira ou campainha. Em inglês é conhecida pelo nome Foxglove (luva de raposa) devido à antiga crença de que as raposas vestiam as flores nas patas para abafar seus passos e invadir os galinheiros sem acordar as galinhas.

Pertence à família da escrofulária. Na medicina, a digitalina, em pequenas quantidades, pode ser usada para tratar certas deficiências cardíacas.

A dedaleira cresce de 60 cm a 1,20 m de altura. As folhas longas e ovais brotam ao longo dos caules. As de cores mais fortes podem apresentar maior ou menor quantidade de pintas e crescem de um só lado do pendão. As dedaleiras têm, em geral, dois anos de vida. As sementes novas devem ser plantadas anualmente para manter a planta em floração contínua.

O veneno é retirado de todas as partes da planta e bastam apenas três folhas para obter uma dose mortal.

Continuar lendo