4.50 from Paddington / What Mrs. McGillicuddy Saw/ Murder She Said / A Testemunha Ocular do Crime

Agatha Christie em 1957, aos 67 anos

Fui passar um fim de semana com Rosalind, no País de Gales, e voltei a Londres num trem tardio, domingo à noite. Era um desses trens que tivemos que agüentar durante a guerra, frios como geladeiras, e, claro, quando chegávamos à estação de Paddington, não existiam quaisquer meios de locomoção. Tomei outro trem algo complicado, que, finalmente, me deixou numa estação de Hamp­stead, não muito distante do Lawn Road Flats, e da estação fui a pé para casa, carregando alguns peixes defumados e minha mala. [Agatha Christie, Autobiografia, trad. Maria Helena Trigueiros. São Paulo: Círculo do Livro, 1989]

Agatha Christie gostava muito de trens, tanto que mais de uma vez cometeu assassinatos dentro deles ou usou a tabela de horários, estações e baldeações em suas histórias. A associação entre Agatha Christie e trens é tão forte que até o grupo humorístico Monty Python criou um sketch para o tema [v. final do post].

Em Testemunha Ocular do Crime, Mrs. Elspeth McGillicuddy apanha o trem das 4:54 na estação de Paddington, em Londres, rumo a Milchester. Durante parte do percurso, seu trem corre paralelo a um outro comboio e Mrs. McGillicuddy olha pela janela a tempo de testemunhar uma mulher sendo estrangulada por um homem. Abalada, ela chega à casa de sua amiga e conta-lhe tudo. A amiga é Miss Jane Marple.

Miss Marple já está com mais de oitenta anos, reumática, proibida de jardinar – o que a deixa de mal-humor – mas a mente continua afiada. Depois de informar à polícia, que não encontra nenhum cadáver, Miss Marple passa a estudar as possibilidades. O corpo só pode ter sido jogado do trem e há apenas um ponto da ferrovia em que isso poderia ser feito: os terrenos de Rutherford Hall, a propriedade da família Crackenthorpe.

Para ajudá-la a procurar o cadáver, Miss Marple contrata uma ajudante, a maravilhosa Lucy Eyelesbarrow. Lucy tem mestrado em Matemática obtido em Oxford, mas seu espírito prático a fez perceber que uma boa empregada doméstica é mais valiosa e ganha muito mais do que uma acadêmica. Miss Marple a convence a empregar-se em Rutherford Hall e proceder às investigações sob sua orientação.

Margaret Rutherford, Joan Hickson, Geraldine McEwan, Miss Mapuru

Mrs. McGillicuddy e seus embrulhos foram empurrados de um lado para outro, mas por fim ela conseguiu chegar à entrada da plataforma 3, colocou um pacote no chão, junto aos seus pés, e procurou na bolsa o bilhete que lhe permitiria passar pelo severo funcionário uniformizado que guardava o portão.
Nesse instante, uma voz áspera mas educada ressoou acima de sua cabeça:
— A composição da plataforma 3 sairá às dezesseis e cinquenta e quatro com destino a Brackhampton, Milchester, Waverton, Carvil Junction, Roxeter e demais estações até Chadmouth. Os passageiros que vão para Brackhampton e Milchester deverão tomar os últimos vagões; os passageiros com destino a Vanequay farão baldeação em Roxeter. [Agatha Christie, A Testemunha Ocular do Crime, trad. Maria Aparecida Moraes Rego. Licença editorial para o Círculo do Livro por cortesia da Editora Nova Fronteira S.A., data não disponível]

Lucy é a resposta dos céus para as donas de casa: é eficiente, ótima cozinheira, faxinadora incansável, sabe lidar com as outras criadas, com velhos irritadiços e crianças hiperativas. É jovem, bonita, discreta, tem classe e inteligência. A personagem foi bem recebida pelo público, mas Agatha Christie não voltou a usá-la em novas histórias – e eu acho que sei o motivo: ninguém gosta de Mary Sue, a personagem feminina idealizada, perfeita, sem nenhum defeito, por quem todos os personagens masculinos se apaixonam. Pelo menos nenhuma mulher de bom-senso gosta.

Faz parte da natureza humana.

O livro foi publicado pela primeira vez na Inglaterra em 1957 e seu título original era 4.54 from Paddington, que os editores alteraram para 4.50. Nos EUA o título [que não tinha significado algum para eles] foi alterado para What Mrs McGillicuddy Saw e em 1963 para Murder, She Said a fim de combinar com o título do filme adaptado.  O título do filme também inspirou a série de TV Murder She Wrote [Assassinato por Escrito, no Brasil] estrelada por Angela Lansbury.

Nesse livro Agatha Christie defende veementemente a pena de morte, que só foi abolida na Inglaterra em 1969. Porém, houve períodos em que a pena de morte era proibida temporariamente enquanto o Parlamento debatia sua suspensão permanente e um desses períodos coincidiu com o intervalo entre a redação e a publicação do romance.

Anotação: Eu tenho a edição do Círculo do Livro em papel. Reli essa edição e a edição portuguesa do livro em arquivo eletrônico para escrever este post. No arquivo eletrônico não tem o nome do tradutor nem da editora [apenas sua logomarca, um cachorrinho de cauda empinada], mas foi possível perceber que se trata da mesma tradução com apenas algumas adaptações idiomáticas [“trem” no lugar de “comboio”, “arsênco” em vez de “arsénico”, etc.]. Até o final do ano pretendo comprar a edição da L&PM Editores para comparar as traduções.

Murder, She Said / Quem Viu Quem Matou? [1961]


Link http://www.youtube.com/watch?v=3ULTeZmSZho

Essa foi a primeira das quatro adaptações com direção de George Pollock produzidas pela MGM e estreladas por Margaret Rutherford no papel de Jane Marple e, de longe, a melhor delas. Agatha Christie decepcionou-se tanto com os filmes dessa série que chegou a cogitar negar ceder os direitos para adaptação de qualquer outra obra sua [v. post relacionado Assassinato no Expresso Oriente].

Ela chegou a declarar-se satisfeita com o fracasso do último filme da série – que nem ao menos era adaptado de um de seus livros, apenas usava sua personagem [Murder Ahoy!]. Margaret Rutherford interpretou Miss Marple em um quinto filme do estúdio [The Alphabet Murders] com Tony Randall no papel de Hercule Poirot.

Murder, She Said é o único filme dessa série adaptado de uma história original de Miss Marple, todos os outros foram adaptados de histórias de Poirot [daí a antipatia da autora], mas mesmo assim o filme não guarda muita fidelidade ao livro. Personagens desapareceram, subtramas e pistas falsas foram ignoradas, a própria Miss Marple testemunha o crime e vai trabalhar na mansão Ackenthorpe [o nome foi alterado para evitar confusão com o sobrenome real da atriz principal].

E mesmo assim é um filme que merece ser assistido. O humor que Rutherford provê é bem britânico e ela é uma atriz carismática, “gostável”. Sua Miss Marple ganhou seu próprio Watson, o Sr. Stringer [interpretado por Stringer Davis, marido de Margaret Rutherford na vida real]. O filme tem ainda o melhor Alexander Eastley das quatro versões que assisti para compor o post e Joan Hickson no papel de Mrs. Kidder.

A Warner lançou uma caixa contendo os quatro filmes estrelados por Margaret Rutherford em DVD [Crime É Crime; Quem Viu Quem Matou; Sherlock de Saias e Assassinatos à Bordo] que já está um pouco difícil de encontrar nas lojas.

Agatha Christie’s Miss Marple: 4:50 from Paddington [1987]


Link http://www.youtube.com/watch?v=al4p47xMQ9U

Joan Hickson estrelou a série de doze episódios da BBC entre 1985 e 1992 – na minha opinião, as melhores adaptações das histórias de Miss Marple até agora. Mesmo neste caso em que o roteiro não é tão literal quanto nos outros episódios, ainda assim os elementos essenciais permanecem fieis ao livro.

O elenco traz Maurice Denham [Luther Crackenthorpe], que interpretou o detetive Parker Pyne na série The Agatha Christie Hour nos anos 1980 e o Inspetor Japp em The Alphabet Murders supracitado [com Tony Randall e Margaret Rutherford]; Mona Bruce [a Josie de Ao Mestre com Carinho] no papel de Mrs. McGillicuddy; e Joanna David como Emma Crackenthorpe [a Mrs. Gardiner da versão 1995 de Orgulho e Preconceito, aquela com o Coin Firth].

Nesse episódio temos a participação do Inspetor Slack e do Sargento Lake, que não aparecem no livro mas que tornaram-se semi-regulares na série para efeito cômico: Slack desgosta de Miss Marple porque ela sempre o passa para trás. O Sargento Lake gosta dela, mas precisa disfarçar isso para Slack não perceber. No livro a investigação oficial é conduzida pelo Inspetor Craddock da Scotland Yard, aqui substituído por outro velho amigo de Miss Marple.

Marple: What Mrs. McGillicuddy Saw / Marple: A Testemunha Ocular do Crime [2004]


Link http://www.youtube.com/watch?v=RdRUCrGOn0Q

Geraldine McEwan interpretou Miss Marple na série da ITV entre 2004 e 2008. De modo geral, acho que são as adaptações mais fracas das histórias da personagem e, do pouco que vi, sua substituta Julia Mckenzie não mudou muito essa impressão. O problema parece ser mais dos roteiros do que das duas atrizes, no entanto.

Esse episódio mantém alguma fidelidade à letra do livro [especialmente se comparado com a versão de 1961] mas não à essência. Luther Crackenthopre foi suavizado, Lucy Eyelesbarrow ficou arrogante, sem contar um personagem que é um cafetão de prostitutas e outro que transformou-se num maníaco sexual e estuprou a própria cunhada. De modo geral, tudo muito sórdido, como se a maldade retratada no livro não fosse suficiente.

O único ponto de interesse nessa adaptação é o elenco, que traz John Hannah como o equivalente do Inspetor Craddock, Inspetor Campbell [Hannah fez o cunhado na trilogia A Múmia e participou do episódio Encontro com a Morte, de Poirot]; Ben Daniels [o promotor Steel de Law & Order: UK]; Pam Ferris como Mrs McGillicuddy [a Tia Guida de Harry Potter & o Prisioneiro de Azkaban], Rose Keegan [Gladys Dixon em A Maldição do Espelho 1992] e Celia Imrie [a Sra. Quickly em Nanny McPhee, Una Alconbury em Bridget Jones, etc.].

Agatha Christie no Meitantei Poirot to Marple: Padeinton Hatsu 4ji 50pun [2005]


Link http://www.youtube.com/watch?v=NgIiChV78GQ

Essa adaptação dos romances policiais de Agatha Christie em formato animê foi exibida pela rede de TV japonesa NHK entre julho de 2004 e maio de 2005. 4.50 de Paddington teve 4 episódios de mais ou menos 20 minutos cada e o roteiro é o mais fiel ao livro, de todas as versões abordadas neste post.

É claro que tem algumas liberdades: a série é estrelada pela personagem Mabelle West, filha de Raymond West. Raymond é sobrinho de Miss Marple e Mabelle faz amizade com Hecule Poirot, por isso participa das histórias de um e de outro. Ela tem um pato de estimação chamado Oliver, que a acompanha em todas as aventuras.

É uma versão kawaii, bonitinha e engraçadnha, que não ofende ninguém.

Comparativo de elenco [exceto da versão animê]
O número após o nome do ator sinaliza que o nome de seu personagem foi alterado em relação ao original.

Personagem 1961 1987 2004
Miss Jane Marple Margaret Rutherford Joan Hickson Geraldine McEwan
Mrs. Elspeth McGillicuddy não existe Mona Bruce Pam Ferris
Sr. Stringer Stringer Davis não existe não existe
Lucy Eyelesbarrow Lucy Griffiths Jill Meager Amanda Holden
Inspetor Craddock Charles Tingwell David Waller1 John Hannah1
Superintendente Slack não existe David Horovitch não existe
Sargento Lake não existe Ian Brimble não existe
Anna Stravinska não existe Juliette Mole Meritxell Lavanchy
Madame Joilet não existe Jean Boht Celia Imne
Luther Crackenthorpe James Robertson Justice1 Maurice Denham David Warner
Emma Crackenthorpe Muriel Pavlov2 Joanna David Niarnh Cusack
Harold Crackenthorpe Conrad Philips3 Bernard Brown Charlie Creed-Miles
Alfred Crackenthorpe Gerald Cross4 Robert East Ben Daniels
Cedric Crackenthorpe Thorley Walters5 John Hallam Ciarán McMenamin
Lady Alice Crackenthorpe não existe não existe Rose Keegan
Bryan Eastley Ronald Howard David Beames Michael Landes
Alexander Eastley Ronnie Raymond Christopher Haley Kurtis O’Brien
Dr John Quimper Arthur Kennedy Andrew Burt Griff Rhys-Jones2
Mrs. Kidder Joan Hickson Pamela Pitchford não existe
Hillman Michael Golden não existe não existe
James Stoddart-West não existe Daniele Stroppa Toby Marlow3
Lady Stoddart-West não existe não existe Neve McIntosh4
Mrs. Brogan não existe Rhoda Lewis não existe
Noel Coward não existe não existe Pip Torrens

1961 [1] Luther Ackenthorpe; [2] Emma Ackenthorpe; [3] Harold Ackenthorpe; [4] Alfred Ackenthorpe; [5] Cedric Ackenthorpe

1987 [1] Inspetor Chefe Duckham

2004 [1] Inspetor Tom Campbell; [2] Dr. David Quimper; [3] James Strickland-West; [4] Lady Sttrickland-West

Monty Python – The Train sketch legendado


Link http://www.youtube.com/watch?v=irCA0zPvGjs

Para saber mais
Hotsite na página oficial da autora
Script do sketch do Monty Python
Verbete do livro na Wikipedia
Verbete do animê na Wikipedia

Posts relacionados
Murder on the Orient Express / Assassinato no Expresso do Oriente
Death on the Nile / Morte no Nilo
Evil Under the Sun / Morte na Praia
The Mirror Crack’d from Side to Side / A Maldição do Espelho
Pudim Yorkshire

3 pensamentos sobre “4.50 from Paddington / What Mrs. McGillicuddy Saw/ Murder She Said / A Testemunha Ocular do Crime

  1. Francamente… os novos episódios de Miss Marple da ITV (Agatha Christie’s Marple) são horríveis. Custou-me muito ver alguns até o final, principalmente aqueles que não são originalmente de Miss Marple. O cúmulo se chama O Segredo de Chimneys que é um livro muito bacana, com um vilão-surpresa (Rei Victor) e tudo mais, porém a ITV criou uma história completamente diferente, só aproveitou os nomes dos personagens! Eles tiveram a audácia de colocar “Based on a novel by Agatha Christie”. Acho que o certo seria: “Based on the characters of a Agatha’s novel”.

    Falando sobre seus posts, eu juro que entro todos os dias aqui agora pra ver se chegou mais um! Eu já andei fazendo coisas do tipo: ler os 5 livros de Tommy e Tuppence, analisar, descrever os personagens e assistir aos filmes The Secret Adversary, o seriado Partners in Crime e By The Pricking of my Thumbs (do seriado Marple da ITV, que foi muito ruim). Mas postar eu nunca postei…

    E Encontro com a Morte? Vai postar ou se cansou do Poirot?? Hahaha… continue assim! Tá de parabéns pela iniciativa!

  2. matheus, eu tenho evitado assistir aos episódios de marple da ITV justamente por causa disso que você comentou. e você percebeu que mesmo em poirot a ITV chega a trocar o culpado em alguns ep? o que salva é o carisma de david suchet e a ambientação caprichada.

    ó, o próximo post será sobre ‘um passe de mágica’, daí volto pro poirot [aqueles 3 que comentamos antes]. estou um pouco atarefada no momento, mas já estou relendo o livro da miss marple e com os filmes e episódios engatilhados.

    muito obrigada pelo feedback!

  3. I have never been satisfied with any of the movie or television adaptations of “WHAT MRS. McGILLICUDDY” saw. However, I’m more tolerant of the 2004 version than any of the others.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s