Sugestão de leitura: Desenterrando o Passado (Agatha Christie)

Além da sua Autobiografia, Agatha Christie publicou um livro de viagens em que registra as expedições arqueológicas que fez com o marido. O título original [“Come, Tell Me How You Live”] é um verso de Lewis Carroll [Alice Através do Espelho] e o livro é uma resposta da autora às pessoas que perguntavam fequentemente:

“Então você faz escavações na Síria, não é? Conte-me tudo a respeito. Como você vive? Numa tenda?” etc, etc. A maioria das pessoas, provavelmente, não está interessada em saber. São só as miudezas da conversa. Mas, volta e meia, há uma ou duas pessoas que estão realmente interessadas.

O título brasileiro também está relacionado com o mesmo poema de Carroll, em seu último verso: “E desenterrar o passado em longínquas colinas!” A escritora publicou o livro com seu nome de casada, Agatha Christie Mallowan – ela o fez apenas uma outra vez, na coletânea Star Over Bethlehem and other stories [poesias e contos religiosos, não publicado no Brasil].

Ela o escreveu durante a Segunda Guerra Mundial enquanto Max Mallowan estava no Egito e ela em Londres, dividindo seu tempo entre o trabalho na farmácia do hospital e novos romances policiais, uma época produtiva para a escritora. Christie o finalizou em junho de 1945 e Desenterrando o Passado foi publicado em novembro de 1946.

Vale lembrar que este é um registro pessoal e que reflete uma visão de época, anterior ao politicamente correto. Porém, como resistir à profunda auto-ironia da autora?

Fazer compras para um clima quente no outono ou no inverno apresenta certas dificuldades. As roupas do verão passado, que, otimisticamente, a gente pensou que iam “dar”, agora que a hora chegou, “não dão”. Por um lado parecem estar (como as deprimentes relações de móveis em mudanças) “Machucadas, Arranhadas e Marcadas”. (E também Encolhidas, Desbotadas, e Estranhas!) Por outro lado — que lástima alguém ter que dizer isso! — estão apertadas por todos os lados.

No Brasil existe apenas a edição da Nova Fronteira desde 1974 [tradução de Cora Rónai Vieira], esgotada e só encontrada em sebos como os da Estante Virtual. Em Portugal a Tinta da China publicou em 2010 com o título Na Síria, e em inglês exstem diversas edições ainda em catálogo.

Sinopse
A autora narra o trabalho do marido, um dos maiores arqueólogos do nosso tempo, Max Mallowan, e suas implicações para a vida de ambos. A história começa alguns anos antes da Segunda Guerra Mundial, quando o casal visita o Iraque e a Síria. Agatha Christie faz uma crônica dessa experiência e relata de forma divertida como se vive enquanto se desenterra o passado do Oriente Médio.

4 pensamentos sobre “Sugestão de leitura: Desenterrando o Passado (Agatha Christie)

  1. Pingback: 27 mil fragmentos restaurados e o museu visitado por Agatha Christie e Max Mallowan « A Casa Torta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s