The Codebreakers of Station X: Agatha investigada na vida real

station x

Como bem colocou Daniela Kyrillos, que me indicou o link, “dava pra escrever um livro massa com o tema, mas só Agatha Christie escreveria”:

A escritora britânica Agatha Christie chegou a ser investigada pelo Serviço Secreto do Reino Unido, durante a Segunda Guerra Mundial.

Para o MI5, como a agência é conhecida, acreditava-se que uma das autoras mais conhecidas do gênero policial teria um espião dentro de Bletchley Park, instalação militar secreta e especialista em decifração de códigos. As informações são do jornal “The Guardian”.

A história surreal foi divulgada no livro “The Codebreakers of Station X”, de Michael Smith, lançado nesta segunda-feira [04.02.2013].

O Serviço Secreto começou a investigar Agatha Christie após ela ter chamado um personagem de Major Bletchley, no romance de guerra “M ou N”, publicado em 1941.

Bletchley era um ex-oficial do exército indiano que dizia conhecer os segredos de guerra da Grã-Bretanha. Na mesma época em que usou o nome da instalação militar para o personagem, a escritora passou a ser uma amiga próxima de Dilly Knox, um dos principais decifradores em Bletchley Park.

MI5 começou a se preocupar se ela teria conhecimento do que foi descoberto sobre os planos de Adolf Hitler. Knox, inclusive, fez parte do grupo que conseguiu decodificar as senhas alemãs e teve acesso ao que o inimigo estava planejando.

Leia mais clicando aqui.

3 pensamentos sobre “The Codebreakers of Station X: Agatha investigada na vida real

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s