Nimrod: Cidade destruída

Matéria da Reuteurs traduzida pelo Globo Online fala da destruição de Nimrod (também grafada no ocidente como Ninrode, Nemrod ou Nimrud), cidade onde Agatha morou em uma fase de sua vida:

Somente as memórias do tempo em que Agatha Christie viveu na cidade iraquiana de Nimrod permanecem no local. A casa de tijolos de barro onde a autora britânica de “Assassinato no Expresso do Oriente” morou, há muito tempo já não existe. Se Christie estivesse viva, ela provavalmente estaria chocada com o que aconteceu com a cidade assíria onde ela trabalhou ao lado de seu marido arqueólogo há 50 anos.

O Estado Islâmico destruiu Nimrod com tratores, martelos e dinamites há três anos como parte de seu ataque ao patrimônio cultural do Iraque. As forças militares iraquianas retomaram o local no início de sua campanha de expulsão dos jihadistas de Mossul, que fica cerca de 30km ao Norte. A casa onde Christie viveu foi derrubada alguns anos antes da chegada do grupo extremista, e as pessoas que a conheceram já morreram. Porém, seu nome ainda é reconhecido pelos moradores locais, ainda que alguns não saibam por que ela é famosa.

Leia mais em português clicando aqui.

No original:

Agatha Christie lived here once, but only memories remain of the time the best-selling crime writer spent among the ruins of the ancient Iraqi city of Nimrud.

The mud-brick house where the British author of “Murder on the Orient Express” once stayed is long gone. If she were alive today, she would probably be shocked by what has befallen the Assyrian city where she worked alongside her archaeologist husband five decades ago.

cinemagia.wordpress.com

Islamic State attacked Nimrud with bulldozers, jackhammers and dynamite three years ago as part of their general assault on Iraq’s cultural heritage.

Iraqi military forces retook the site early in their campaign to drive the jihadists out of Mosul, which lies about 30 km (20 miles) north.

The house where Christie lived on site was knocked down some years before that, and the people who knew her have all died. But her name still stirs recognition among locals, although most do not know what she is famous for.

“We just know that she was British,” said Abu Ammar, who lives in the closest village to the ruins.

Famed for her detectives – Miss Marple and Hercule Poirot – Christie is listed by Guinness World Records as the best-selling fiction author of all time. Her 78 crime novels have sold 2 billion copies in 44 languages.

Leia a matéria completa clicando aqui.

Leia também:
Agatha & Arqueologia: dois artigos interessantes

No Wikipedia:

Os escritos rabínicos derivaram o nome Ninrode do verbo hebraico ma·rádh, que significa “rebelar”. Assim, o Talmude Babilônico (Erubin 53a) declara: “Então, por que foi ele chamado de Ninrode? Porque incitou todo o mundo a se rebelar (himrid) contra a Sua soberania.” — Encyclopedia of Biblical Interpretation (Enciclopédia de Interpretação Bíblica), de Menahem M. Kasher, Vol. II, 1955, p. 79.

A respeito do nome , o orientalista E. F. C. Rosenmüller escreveu: “O nome Ninrode deriva de [ma·rádh], ‘ele se rebelou’, ‘ele desertou’, segundo o significado hebraico.” Rosenmüller explica ainda que “os orientais têm o costume de se referir muitas vezes às pessoas de destaque por outro nome dado após a sua morte, e por isso às vezes há uma notável harmonia entre o nome e os atos da pessoa”.

Leia mais em:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Nimrod

A Torre de Babel de Pieter Bruegel retrata uma inspeção de cantaria comum de Ninrod

A Torre de Babel de Pieter Bruegel retrata uma inspeção de cantaria comum de Ninrod