Traduções: Um artigo sobre oralidade e pós-colonialismo

Num PDF disponível no endereço…

https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5012683.pdf

… há um artigo — de Vanessa Lopes Lourenço Hanes, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC – CAPES) e University of Antwerp — que trata das “representações escritas do discurso oral dos personagens de Agatha Christie nas traduções brasileiras, com destaque para o registro utilizado nos diálogos entre eles”:

Os dados levantados no estudo revelam que os livros de Agatha Christie representam claramente trocas culturais entre a América Latina e a Europa, reiteradas pelos achados de outros pesquisadores do tema, e ensinam sobre semelhanças na forma como a questão da oralidade tem sido abordada nacional e internacionalmente nas traduções de Agatha Christie, dando pistas sobre quais os elementos determinantes nesse processo no Brasil. As hesitações, exclusões, escolhas e estratégias demonstradas nesses dois textos representam opções sistemáticas da Agatha Christie brasileira que obviamente refletem considerações coloniais em termos de línguas, mas também em termos de gêneros literários.

musicamagia.wordpress.com