Agatha Christie em artigos acadêmicos [7]

Dissertação apresentada ao Centro de
Ensino Superior de Juiz de Fora – MG (Mestrado em Letras), Área de
Concentração: Literatura Brasileira. Linha de Pesquisa: Literatura brasileira: tradição e ruptura. [2007]


Mistério e suspense na narrativa policial de Marcos Rey – Gilda Maria das Graças Gomes

Resumo:
“Este trabalho propõe-se a fazer uma pesquisa teórica sobre o romance policial, sua gênese, sua evolução e suas transformações pelo tempo, a fim de conhecer seus precursores no Brasil. Inicialmente, aborda-se o surgimento desse gênero,
caracterizando-se cada tipo de romance. Apresenta-se o primeiro romance policial brasileiro, os precursores, peculiaridades nacionais significativas para o estudo e evidencia-se uma visão geral da obra do autor objeto desta pesquisa. Analisa-se a obra O mistério do cinco estrelas, de autoria de Marcos Rey, identificando-se personagens, tramas, a importância do tempo e do espaço, como fator determinante em sua obra. Focaliza-se, ainda, a literatura juvenil policial, como gênero ficcional mais apurado, ressaltando-se a participação do escritor na estimulação da consciência crítica de seus leitores por meio do prazer do texto. Por fim, demonstrar a importância desse gênero e a contribuição ímpar de Marcos Rey no cenário literário, referente ao prazer do texto infanto-juvenil.”

Esse artigo encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [6]

Trabalho publicado nos Anais do XIX Encontro Nacional do CONPEDI realizado em Fortaleza – CE nos dias 09, 10, 11 e 12 de Junho de 2010.


A literatura e as Ciências Penais – Isolda Lins Ribeiro e Lucas Moraes Martins

Resumo:
“O processo de racionalização do ensino do direito, ocorrido durante os últimos séculos, tratou de apartá-lo das demais ciências. O ensino jurídico, assim como toda o modelo educacional do século XX, tornou-se tecnocrático e disciplinar, afastando seu conteúdo de sua aplicação no mundo real. A literatura, por traduzir todas as nuanças da vida humana, oferece inúmeras formas para se instrumentalizar o ensino jurídico. Através da literatura policial, não somente o conhecimento acerca do direito e processo penal se populariza, como se transforma em uma ferramenta apta ao ensino do Direito. Destarte, propusemo-nos a analisar a possibilidade de haver interdisciplinaridade com a Literatura, demonstrando, através de exemplos retirados das obras de Sir Arthur Conan Doyle e Agatha Christie, que a conjugação de ciência e arte pode atuar em favor do ensino jurídico, de acordo com os novos rumos da Educação.”

Esse artigo encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [5]

Artigo acadêmico publicado na Revista Eletrônica n. 7 do Curso de Letras da Universidade Tuiuti do Paraná [UTP], publicado em janeiro de 2004.

Investigando M. Poirot: A lógica do detetive determinada pelo enigma clássico do tempo e do espaço – Cleverson Ribas Carneiro

Reesumo:
“O romance policial de enigma ou clássico constitui a gênese do moderno e popular romance policial. Como esse gênero caracteriza-se por ser altamente formalizado, a análise do espaço e do tempo na narrativa permite a observação de algumas de suas estruturas básicas. Este estudo sustenta-se nas teorias de Mikhail Bakhtin sobre tempo e espaço (cronotopo) e analisa algumas premissas ideológicas de produção do romance de enigma clássico, especialmente a abstração dos planos temporais e espaciais e suas influências no desenvolvimento dos personagens.”

Esse artigo encontra-se disponível online [DOC] no site da instituição através deste link.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [4]

Artigo acadêmico apresentado na XVI Semana de Humanidades do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Grupo de Trabalho 29 [“A crítica literária pós-estruturalista”], em 2008.


As Imagens da Morte em Agatha Christie, Oscar Wilde e Edgar Allan Poe – Luciana de Freitas Bernardo

Reesumo:
“O espelho é um objeto que sempre esteve carregado de diferentes simbologias, comumente ligadas ao auto-conhecimento e à verdade, devido ao fato de mostrar, a quem se olha nele, uma imagem tão próxima da real quanto possível. Por outro lado, o espelho também é associado ao misticismo e ao sobrenatural, pela “mágica” de conseguir duplicar aquele que olha através dele. Esse caráter ambíguo torna o espelho um elemento fantástico por excelência e de recorrência comum nos textos deste gênero, além de ponto alto de interesse para nossa discussão. Pretendemos, neste trabalho, analisar os textos In a Glass Darkly de Christie, The Oval Portrait de Poe e The Picture of Dorian Gray de Wilde a partir de uma metodologia comparativa, e, a seguir discutir as relações entre eles apontando as similaridades e diferenças no tratamento do espelho como objeto que introduz o sobrenatural e a morte nas tramas tomando como base as discussões de Barthes, Santaella, Aumont e Eco sobre as imagens.”

Esse artigo encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [3]

Artigo acadêmico apresentado no 1º Colóquio Internacional de Estudos Linguísticos e Literários / 4º Colóquio de Estudos Linguísticos e Literários ocorrido na Universidade Estadual de Maringá/PR [UEM], Departamento de Letras / Centro de Ciências Humanas – Letras e Artes / Programa de Pós-Graduação em Letras,  em 2010.

O discurso autobiográfico de Agatha Christie – Caroline Wilt Araújo e Fábio Augusto Steyer

Reesumo:
” Este trabalho é parte de um projeto de pesquisa e extensão que pretende, entre outros estudos, analisar as marcas de Agatha Christie.
Quando pensamos em mulheres que conseguiram conquistar o espaço da literatura policial, com toda certeza nos vem em mente o nome da incrível Rainha do Crime, Agatha Christie. Ela ficou conhecida mundialmente por sua perspicácia e genialidade na criação de livros com alto nível de mistério, tramas intrigantes que levam os leitores, desde os mais jovens até os seguidores fanáticos, a cogitar inúmeras possibilidades para desvendar os tão bem elaborados crimes de seus romances.
Ela, mais do que qualquer outra mulher, ganhou muito dinheiro com o crime. Seus editores perderam as contas da vendagem de seus livros, tamanho foi seu sucesso. Além das obras publicadas com o sobrenome usual Christie, produziu ainda peças com o pseudônimo de Mary Westmacott, além de escrever narrativas sobre suas inúmeras viagens com o nome de casada, Agatha Christie Mallowan”

Esse artigo encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [2]

Artigo acadêmico apresentado no II Congresso Internacional de Leitura e Literatura Infanto-Juvenil ocorrido na Pontifícia Universidade Católica PUC-RS em maio de 2010

Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie: Horizonte de expectativas e recepção envolvendo obra impressa e virtual – Paola Natacha Bogusz

Reesumo:
“As obras que costumamos ver e analisar são impressas e facilmente encontradas em bibliotecas e lojas especializadas em livros. Porém, com o advento da tecnologia, é possível encontrar estas mesmas obras em meios, como o eletrônico e em variadas formas, como jogos de computador e e-books.
Com este trabalho tentaremos mostrar um pouco deste universo multimidial, pois utilizaremos o livro Assassinato no expresso do oriente de Agatha Christie e o jogo, em inglês, criado a partir da obra da autora para analisar a recepção e o horizonte de expectativa envolvendo um indivíduo que foi contatado no site de relacionamentos Orkut.”

Esse artigo encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

BOGUSZ, Paola Natacha. Assassinato no Expresso do Oriente de Agatha Christie: Horizonte de expectativas e recepção envolvendo obra impressa e virtual. 8f. 2010.

Agatha Christie em artigos acadêmicos [1]

Dissertação de Mestrado apresentada ao Departamento de Linguística, do Programa de Pós Graduação em Linguística e Língua Portuguesa da Faculdade de Ciências e Letras – UNESP/Araraquara

A configuração dos romances policiais mais vendidos no Brasil no século XXI: canônica ou inovadora? – Fernanda Massi

Reesumo:
“Este trabalho foi elaborado em continuação de um projeto de iniciação científica, financiado pela FAPESP e sob a mesma orientação, que analisou os romances policiais mais vendidos no Brasil na década de 1970, a partir de um levantamento realizado por Cortina (2006), em sua constituição narrativa sob uma perspectiva semiótica. O embasamento teórico de nossa pesquisa foi a semiótica discursiva, ou semiótica greimasiana, que estabeleceu o esquema narrativo canônico, composto por quatro programas narrativos, quais sejam a manipulação, a competência, a perfórmance e a sanção, e que se manifesta em todo e qualquer texto. Nos romances policiais, os programas narrativos são realizados por dois sujeitos do fazer indispensáveis à trama: o criminoso e o detetive. Cada um deles traça seu percurso, paralelamente ao outro, e eles se cruzam no último programa narrativo, o da sanção, no qual o detetive sanciona o criminoso negativamente e é sancionado positivamente pela sociedade. Nesta pesquisa de mestrado, analisamos as obras mais vendidas no Brasil nos primeiros anos do século XXI, que corresponde ao período de janeiro de 2000 a fevereiro de 2007, selecionadas a partir da mesma fonte usada por Cortina em seu levantamento, qual seja o Jornal do Brasil, e classificadas como romances policiais pelos próprios autores e pela crítica. Estabelecemos um corpus de vinte e dois romances policiais e fizemos uma análise dos elementos constituintes da narrativa em cada um deles. Posteriormente, comparamos os romances da década de 1970 (tradicionais) – cujo foco da narrativa é o percurso do detetive – com os romances do século XXI (contemporâneos) – cujo enfoque foi modificado, a fim de elencar as mudanças ocorridas no gênero policial. Nosso objetivo foi ampliar o conceito de gênero policial a partir dessas diferenças, destacando a expansão do modelo proposto por Edgar Allan Poe no século XIX, e mostrar em que medida os romances policiais contemporâneos se distanciaram dos romances policiais clássicos sem, no entanto, descaracterizar o gênero.  Com isso, apresentamos neste trabalho uma conceituação mais ampla para o gênero policial, elaborada não como regra a ser seguida pelos autores contemporâneos, mas sim formulada a partir do que esses autores escreveram.”

Os livros de Agatha Christie compõem o corpus. Essa dissertação encontra-se disponível online [PDF] no site da instituição através deste link.

MASSI, Fernanda. A configuração dos romances policiais mais vendidos no Brasil no século XXI: canônica ou inovadora?. 144f. 2010. Dissertação de Mestrado (Pós Graduação em Linguística e Língua Portuguesa). Faculdade de Ciências e Letras, UNESP/Araraquara, 2010.