4.50 from Paddington / What Mrs. McGillicuddy Saw/ Murder She Said / A Testemunha Ocular do Crime

Agatha Christie em 1957, aos 67 anos

Fui passar um fim de semana com Rosalind, no País de Gales, e voltei a Londres num trem tardio, domingo à noite. Era um desses trens que tivemos que agüentar durante a guerra, frios como geladeiras, e, claro, quando chegávamos à estação de Paddington, não existiam quaisquer meios de locomoção. Tomei outro trem algo complicado, que, finalmente, me deixou numa estação de Hamp­stead, não muito distante do Lawn Road Flats, e da estação fui a pé para casa, carregando alguns peixes defumados e minha mala. [Agatha Christie, Autobiografia, trad. Maria Helena Trigueiros. São Paulo: Círculo do Livro, 1989]

Agatha Christie gostava muito de trens, tanto que mais de uma vez cometeu assassinatos dentro deles ou usou a tabela de horários, estações e baldeações em suas histórias. A associação entre Agatha Christie e trens é tão forte que até o grupo humorístico Monty Python criou um sketch para o tema [v. final do post].

Em Testemunha Ocular do Crime, Mrs. Elspeth McGillicuddy apanha o trem das 4:54 na estação de Paddington, em Londres, rumo a Milchester. Durante parte do percurso, seu trem corre paralelo a um outro comboio e Mrs. McGillicuddy olha pela janela a tempo de testemunhar uma mulher sendo estrangulada por um homem. Abalada, ela chega à casa de sua amiga e conta-lhe tudo. A amiga é Miss Jane Marple.

Miss Marple já está com mais de oitenta anos, reumática, proibida de jardinar – o que a deixa de mal-humor – mas a mente continua afiada. Depois de informar à polícia, que não encontra nenhum cadáver, Miss Marple passa a estudar as possibilidades. O corpo só pode ter sido jogado do trem e há apenas um ponto da ferrovia em que isso poderia ser feito: os terrenos de Rutherford Hall, a propriedade da família Crackenthorpe.

Para ajudá-la a procurar o cadáver, Miss Marple contrata uma ajudante, a maravilhosa Lucy Eyelesbarrow. Lucy tem mestrado em Matemática obtido em Oxford, mas seu espírito prático a fez perceber que uma boa empregada doméstica é mais valiosa e ganha muito mais do que uma acadêmica. Miss Marple a convence a empregar-se em Rutherford Hall e proceder às investigações sob sua orientação.

Continuar lendo

Por que todo mundo tem carinho por Miss Marple?

Assassinato na casa do pastor saiu em 1930, mas não consigo lembrar onde, quando e como o escrevi, ou por que o escrevi, nem sequer o que me sugeriu a idéia de criar uma nova personagem — Miss Marple, a investigadora da história. Estou certa, porém, de que, nesse tempo, não tinha a menor intenção de continuar com ela para o resto da vida. Não sabia que se tornaria rival de Poirot. (Agatha Christie, Autobiografia, Círculo do Livro)

Mestre do Mistério

Mestra do Mistério

Em artigo publicado nesta sexta-feira, 12, a jornalista Virginia Mason relembra as atrizes que personificaram a “velhinha de todas as velhinhas”, a abelhuda Miss Marple, detetive amadora criada por Agatha Christie; sua motivação vem da espera pela estréia de uma nova Miss Marple em 2009, com Julia McKenzie assumindo o lugar de Geraldine McEwan na série homônima.

Segundo Jennifer Pell, a proprietária da livraria “Fred Wade” em Halifax, a personagem nunca sairá de moda porque sempre há uma nova geração de fãs a descobrir a velha senhora de cabelos brancos e maneiras gentis.

But perhaps it was the BBC TV series featuring the gentle acting of Joan Hickson that best captured the essence of the character. Hickson was a resounding success and allegedly a favourite of Agatha Christie.
The story goes that the two met on the set of Murder She Said, in which Joan Hickson was playing a minor role, when the novelist told her: “Some day I would like you to play my Miss Marple.” (Halifax Courier)

Pobre Miss Marple!

Uma montagem feita sobre cena do filme Murder She Said transforma a atriz Margaret Rutherford em uma voyeur. Bem, ela é uma observadora atenta da natureza humana, é verdade… O que o autor do vídeo fez foi atualizar os objetos de observação da nossa velhinha preferida.

O filme Assassinato, Ela Disse (Murder She Said), de 1961, foi dirigido por George Pollock e é baseado no livro A Testemunha Ocular do Crime (4.50 From Paddington, de 1957). A atriz Margaret Rutherford trouxe uma veia cômica para a personagem e muitos acreditam que ela teria se divertido muito com esta montagem.

Continuar lendo

The Spinster Sleuth

Geraldine McEwan como Miss MarpleComo tenho profunda simpatia por Miss Marple, não custa nada indicar um link (que acabei de descobrir que está na lista de links à direita deste blog…) que fala especificamente sobre esta personagem adoravelmente perspicaz presente em alguns dos melhores livros de Agatha Christie:

Miss Jane Marple – The Spinster Sleuth

Pena que haja seções não desenvolvidas e não esteja sendo atualizado desde 2006. Ainda assim, vale uma olhada: há até uma pesquisa sobre qual atriz melhor a interpretou (Joan Hickson, Margaret Rutherford, Angela Lansbury e Helen Hayes são algumas das opções).

Na foto ao lado, Geraldine McEwan como Miss Marple.

(No mesmo site, há um link para uma página semelhante sobre Hercule Poirot, The Belgian Detective.)

Desenhos & Charges – 2

Selo com Miss MarpleCom poucos dias de inauguração, nosso blog ainda não teve tempo de falar daquela criaturinha aparentemente frágil mas destemida, adorada por todo e qualquer fã de Dame Agatha Christie…

Deve haver uma St. Mary Mead no coração de cada leitor, com uma Miss Marple particular desvendando os mais intricados mistérios do nosso ser em meio ao disse-me-disse do corre-corre do nosso dia-a-dia… 🙂

Por ora, mais uma charge que encontrei na rede, e um selo com a figura de Miss Marple, certamente baseada em Margaret Rutherford, uma de suas intérpretes mais famosas.

Charge com Miss Marple