Agenda de TV

televisao.jpgFilmes adaptados da obra de Agatha Christie programados pelos canais brasileiros para junho de 2008.

As informações foram fornecidas pelos canais e podem sofrer alteração. Consulte o site oficial da HBO, HBO Plus, Cinemax e Maxprime para confirmar a programação. O horário é o de Brasília e vale lembrar que os canais da família HBO exibem o mesmo filme três horas depois, no segundo canal; o Cinemax exibe duas horas depois.

Continuar lendo

Anúncios

1o Desafio Trívia A Casa Torta

Para comemorar os primeiros seis meses de existência do nosso blog, vamos fazer bom uso daquele velho chavão: quem faz aniversário é A Casa Torta mas quem ganha o presente é você!

Quebramos a cabeça para imaginar uma maneira de presentear quem nos incentiva e ao mesmo tempo oferecer a chance de brincar de detetive. Então, elaboramos um jogo de trívia. Não se preocupem: as respostas não entregarão spoilers de livros que não tenham lido e, mesmo que não tenham lido, podem encontrá-las.

Dependerá apenas de suas capacidades investigativas, mon ami.

E quais serão os prêmios? Cinco pares de livros!

A Editora Record, que detém os direitos de publicação de diversos títulos da nossa Dama do Crime e de outros autores de mistério e suspense, generosamente ofereceu os livros que serão presenteados nesta promoção (a lista segue ao final do post).

Para concorrer aos cinco pares de livros leia atentamente nosso regulamento e aguarde a fase 1!

Regulamento

Continuar lendo

Galeria de Fãs: Juan Bolea

O escritor espanhol Juan Bolea (foto) é formado em Geografia e História e exerce também a profissão de articulista em jornais principalmente da região de Aragão, onde preside a Associação de Escritores. Seu conto de estréia, “El palacio de los jardines oblicuos”, recebeu o prêmio Ciudad de Álcala de Novela Corta. Depois de publicar outras quatro novelas, Bolea enveredou pelo ramo das hsitórias policiais com “Los hermanos de la costa” e apresentou uma das poucas detetives femininas do mundo, a subinspetora Martina de Santo. Sua segunda novela policial foi lançada em 2006 e tem a mesma personagem de volta (“La mariposa de obsidiana”).

En sus libros, Bolea siempre priorizó “el punto de vista artístico de la novela, para mí será más perfecta cuanto más exacta, misteriosa y literaria sea su trama”.
En ese sentido, “demarcaría tres o cuatro autores de referencia: Edgar Allan Poe, Arthur Conan Doyle -con una magia extraordinaria- y soy un defensor de Agatha Christie, creo que nadie la ha superado en ese tipo de tramas claustrofóbicas de pocos personajes. Y de Raymond Chandler y de Dashiell Hammett tomó sobre todo el ritmo y la iluminación de la escena”. (La Capital)

Ajustes no blog

Peço desculpas aos leitores que assinam o feed (RSS) do nosso blog.

Estive reorganizando os posts antigos de forma a facilitar a busca por Categoria e Etiquetas enquanto estamos no começo e isto é mais fácil!

A categoria Curiosidades, por exemplo, que é muito genérica, estava lotada e dificultava a busca. Com a adição das categorias Crimes reais & Venenos e Cantigas, Músicas & Poemas a divisão ficou um pouco mais lógica.

Outras categorias com tema similar foram agrupadas: Dicas & Sites, Artigos & Notícias, Homenagens & Prêmios, Datas & Estatísticas, Capas, Charges & Fotos

Essa reengenharia provocou a republicação destes posts, o que explica a quantidade massiva de “novos posts” nos feedreaders.

Acho que o trabalho está terminado por enquanto. Com o passar do tempo talvez sejam necessários novos ajustes, talvez mesmo agora você tenha uma sugestão. Comente conosco!

Obrigada pela compreensão.

10 motivos para amar Poirot

1. Ele é grave.
2. Ele é tempestuoso.
3. Ele é animado.
4. Ele tem ótimos amigos.
5. Poirot canta!
6. Ele tem o bigode mais vistoso de Londres.
7. Ele é cortês com as mulheres.
8. Até jardinagem é excitante com ele.
9. Ele tem os olhos mais ternos.
10. Ele ama Hercule Poirot tanto quanto nós.

Música: The One You Love by Rufus Wainwright.

Felizes coincidências

Recentemente (em posts como Relíquias do Passado, Usados e abusados e Com capa dura), comentei a respeito de locais onde se pode comprar livros de Agatha Christie de segunda mão com preços mais em conta. Ontem fui ao cinema e acabei visitando um desses locais, a filial Botafogo do Luzes da Cidade (eu tenho frequentado a filial Ipanema).

Justamente no dia em que consegui, por intermédio de Lady Lucy, edições “sem capa” de “Os Quatro Grandes” e “O Mistério do Trem Azul”, acabei encontrando neste local os dois (e mais “O Mistério dos Sete Relógios”) em suas edições da Nova Fronteira. Comprei os dois últimos, em bom estado de conservação, por R$ 8 cada. Juntamente com mais outros 30 títulos aproximadamente, “O Mistério do Trem Azul” também estava disponivel com sua capa menos interessante, mas preferi a edição da Nova Fronteira (capa ao lado, scaneei porque não consigo achá-la na internet).

No mesmo local, ao asssistir ao filme “Efeito Dominó” (resenha no Cinema É Magia em breve), tive outra grata surpresa: entre os codajuvantes, estava o ator David Suchet, sobre o qual também já falamos aqui em A Casa Torta: ele é o mais famoso intérprete de Hercule Poirot para a TV. Boas coincidências, portanto.

Refeição digna de um conde francês

O Comte de la Roche vinha de acabar seu dejéneur, que consistira de um omelette fines herbes, uma entrecôte Bearnaise e um Savarin au Rhum. (O Mistério do Trem Azul, Ed. Abril Cultural, pág. 155)

Omelette aux fines herbes
Segundo o High Beam Encyclopedia, a definição de fines herbs é: mistura de salsinha, estragão, cebolinha, manjerona e agrião picados. Uma omelete perfeita é levemente marrom por fora mas não seca, e levemente úmida por dentro mas não escorrendo. As ervas devem ser frescas, não secas nem desidratadas. Se não tiver todas as ervas à mão use só algumas ou use ervas diferentes.

O chefe Escoffier, do Ritz Hotel de Londres e que já vimos antes na receita de Peche Melba, é incisivo ao avisar que uma omelete feita apenas com salsinha não pode ser chamada de omelette aux fines herbes. A receita a seguir é de autoria de Escoffier.

Continuar lendo